Jovem reage a assalto é acaba morto por bandido em Jundiaí, no interior paulista

Vítima deixava o trabalho e teve mochila, com notebook e vários documentos, levada pelo criminoso

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

07 Julho 2012 | 01h58

SÃO PAULO - Um consultor de vendas, ao reagir a um assalto, foi baleado na cabeça e morreu, por volta das 18h30 de sexta-feira, 6, ao deixar o local de trabalho, na Rua Pedro Alexandrino, no bairro Anhanguera, em Jundiaí, interior paulista. Mesmo encaminhado por um amigo para o pronto-socorro São Vicente de Paulo, Christian Frederick Mikilaus, de 19 anos, não resistiu ao ferimento e já teria chegado morto no hospital.

 

Segundo o que foi informado à delegada Maria Beatriz, do plantão da Delegacia Seccional, na Avenida Nove de Julho, o rapaz, com mais de 1,8 metro de altura, morador de Campo Limpo Paulista, cidade vizinha, já próximo do carro, teria sido abordado por um assaltante bem mais baixo. O criminoso, de pele morena e utilizando uma calça jeans, exigiu a mochila de Christian, onde havia um notebook e documentos. Não se sabe se a vítima percebeu que havia uma arma na cintura do bandido.

 

Ao ter a mochila puxada pelo assaltante, o consultor tentou retomá-la e acabou baleado na cabeça pelo criminoso, que sacou a arma e atirou, fugindo com a mochila de Christian. Um colega de trabalho da vítima também deixava o serviço quando ouviu o disparo e, ao se virar, viu o jovem caído. "Não sabemos ainda que arma o bandido utilizou. O pequeno furo feito na cabeça da vítima nos leva a acreditar que possa ser um revólver. Ele (Christian) era bem mais alto que o bandido e talvez tenha acreditado que levaria vantagem", disse a delegada.

 

Segundo ainda a polícia, uma segunda pessoa, suspeita, possivelmente comparsa do assassino, encontrava-se próximo ao local do crime e não chegou a abordar a vítima. Até o momento o autor do latrocínio - roubo seguido de morto, permanece foragido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.