Jardins terá obra de madrugada por 5 meses

Comgás está trocando 12 km de tubulações no bairro; intervenções são feitas das 22h às 5h, para evitar prejudicar trânsito

NATALY COSTA, O Estado de S.Paulo

07 Março 2013 | 02h06

Nos próximos cinco meses, os moradores dos Jardins, na zona sul de São Paulo, terão de conviver com o incômodo das obras noturnas. A Comgás está fazendo a renovação de 12 quilômetros da rede de gás natural, que atende uma média de 6,7 mil casas ou estabelecimentos comerciais no bairro. As intervenções são entre as 22h e as 5h e começaram no fim de fevereiro. Segundo previsão da concessionária, devem durar até julho.

As obras estão concentradas no perímetro entre a Alameda Santos, Avenida 9 de Julho, Ruas Estados Unidos e Haddock Lobo. Incluem as Ruas Oscar Freire, Barão de Capanema, Peixoto Gomide, Augusta e as Alamedas Jaú, Itu, Franca, Lorena e Ministro Rocha Azevedo.

De acordo com a Comgás, é necessário fazer essas intervenções durante a madrugada porque são vias com grande movimentação de carros e pedestres. Se fossem feitas durante o dia, os bloqueios causariam um transtorno maior no trânsito e na circulação de pessoas.

Mal necessário. Para a presidente da Sociedade dos Amigos, Moradores e Empreendedores do Bairro Cerqueira César (Samorcc), Célia Marcondes, que também responde pela região do Jardim Paulista, as constantes reformas em vias públicas durante a noite em São Paulo são um "mal necessário".

"Existe um grande problema causado pelas tampas enormes e barulhentas que eles ficam mexendo. Além disso, deixam placas de madeira por cima da obra, atrapalhando a circulação", diz Célia. "O incômodo é grande, claro, mas infelizmente tem de ser feito, é uma questão até de segurança."

Segundo Célia, a única coisa que os moradores pedem é um pouco mais de fiscalização. "Tem de ter alguém de olho para que o impacto sonoro seja o menor possível. Afinal, é uma questão de respeito ao sono alheio, de pessoas que acordam cedo e trabalham durante o dia."

São Paulo tem uma média de 11 obras novas que são autorizadas diariamente pela Prefeitura de São Paulo, segundo um levantamento feito pelo Estado em 2011. A maioria é feita de madrugada pelas concessionárias.

Por lei, o uso de equipamentos como a britadeira, por exemplo, é suportado até as 22h. Depois, os trabalhos devem ser manuais, o que nem sempre ocorre. Além disso, o Programa de Silêncio Urbano (Psiu) não abrange esse tipo de reclamação.

Outros locais. A Comgás afirma que, ainda este ano, vai fazer obras em mais 60 km de rede. Elas acontecerão nos bairros da Vila Mariana, Aclimação, Cambuci e Vila Clementino, na zona sul, Cerqueira César, na região central, e Mooca, na zona leste.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.