Alex Silva/AE
Alex Silva/AE

Inspeção: 1 em 5 carros não passa na 1ª vistoria

Vazamento, mangueira solta e fumaça estão entre as principais causas de reprovação; no 1º semestre do ano, 11 mil pessoas a menos fizeram o teste

Bruno Ribeiro, O Estado de S.Paulo

26 Julho 2012 | 03h03

Menos carros fizeram a inspeção veicular no primeiro semestre deste ano, em comparação com o ano passado, mas a porcentagem de veículos aprovados logo na primeira inspeção cresceu, segundo balanço divulgado ontem pela empresa Controlar. Mesmo assim, na média, 1 em cada 5 carros é reprovado na primeira vistoria.

Foram 608 mil vistorias em carros neste ano, ante 619 mil em 2011. O total de reprovados na primeira vistoria caiu de 24,8%, no ano passado, para 17,7% neste ano. Ainda segundo a Controlar, metade das reprovações acontece na pré-inspeção visual. Significa que vazamentos, mangueiras soltas ou emissão visível de fumaça são as principais causas de reprovação.

A Controlar também divulgou estudo afirmando que a inspeção salvou 584 vidas neste ano. O cálculo foi feito com base nas emissões dos veículos a diesel antes e depois da aprovação na vistoria, a partir de estudo do professor do Departamento de Poluição Atmosférica da USP Paulo Saldiva. Ele, no entanto, faz ressalvas aos números. "Não é que 584 vidas foram salvas. Quer dizer que poderia ser pior. A poluição do ar não está melhorando em São Paulo. Melhorou em 2007 e 2008 e estacionou. Agora está piorando. Esse número seria válido se todos os veículos a diesel tivessem feito a inspeção, o que não aconteceu."

Para a diretora do Instituto de Energia e Meio Ambiente (Iema), Carmem Silvia Câmara Araújo, não é possível fazer a correlação entre a inspeção e a melhoria de qualidade do ar. "É uma matemática muito questionável, há outros fatores a considerar", disse ela, citando fatores atmosféricos como as chuvas.

Planos. O presidente da Controlar, Harald Peter Zwetkoff, disse que a empresa estuda formas de avisar os motoristas que não fizeram inspeção que precisam fazer a vistoria. A saída em estudo seria permitir que os motoristas fizessem um cadastro no site da empresa para receber avisos por e-mail. A preocupação, diz ele, ocorre porque parte dos motoristas que faz o licenciamento no começo do ano se esquece de fazer a vistoria.

No ano passado, a Controlar chegou a enviar cartas para motoristas informando sobre a vistoria. A Prefeitura disse que a prática era irregular e multou a empresa em R$ 8 milhões. O valor é discutido na Justiça.

Outra mudança planejada pela Controlar é ampliar o prazo de inspeção, que hoje é de até 90 dias antes do licenciamento do veículo. Para isso, seriam necessárias alterações no calendário de licenciamento dos veículos, que é feito pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran). O Detran, por sua vez, disse que não foi procurado pela Prefeitura para tratar do assunto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.