Incêndio em favela da zona leste mata criança

Pais só conseguiram tirar dois dos três filhos de barraco em chamas; testemunhas dizem que tragédia começou com fogueira acesa por jovens

Damaris Giuliana, O Estado de S.Paulo

29 Abril 2010 | 00h00

Um menino de 2 anos morreu carbonizado ontem em um incêndio na Favela do Pau Queimado, no Parque São Jorge, zona leste de São Paulo. Segundo a PM, Cristyan David Mello Sena estava em um dos nove barracos atingidos pelas chamas. A comunidade diz que cinco foram atingidos.

Os bombeiros foram acionados por volta das 18h20 e o fogo foi controlado uma hora e quinze minutos depois. Um morador da favela que inalou fumaça foi levado ao PS da Vila Maria.

Cristyan estava dormindo no quarto do avô. Quando o fogo começou, os pais do garoto, a dona de casa Cláudia de Mello de Lima, de 28 anos, e o pizzaiolo Rodrigo de Oliveira Sena, de 23, tiraram do barraco os dois irmãos de Cristyan, Kevin, de 3 anos, e Yasmin, de 8 meses. O filho do meio, que fez aniversário dia 16, ficou para trás.

"O fogo veio muito rápido e todo mundo correu até perceber que estava faltando um menino já era tarde", contou a estudante Natália Brito Porto dos Santos, de 17 anos, que também teve a casa queimada.

Outra vizinha, Vaste Oliveira Brito, de 69 anos, também ficou sem poder fazer nada. "Não dava para entrar com balde de água. Não tinha o que fazer."

No momento do incêndio havia cerca de 20 crianças e 15 adultos na área afetada, de 150 metros quadrados. As causas ainda são desconhecidas. "Algumas pessoas dizem que tinha um rapaz colocando fogo em cobre, outros dizem que foi curto-circuito. Também falaram que usuários de drogas provocaram o incêndio", disse a líder comunitária Zeneide Maria de Lima, de 49 anos.

Cerca de 200 pessoas moram na favela, uma área particular de 44 mil m² invadida há 38 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.