Assine o Estadão
assine

São Paulo

SÃO PAULO

IML identifica e libera corpos de vítimas de acidente aéreo

Aeronave de Roger Agnelli, ex-presidente da Vale, não tinha caixa-preta; Cenipa vai pedir áudios que piloto trocou com torre do Campo de Marte

0

Rafael Italiani,
O Estado de S. Paulo

20 Março 2016 | 14h22

SÃO PAULO - Os corpos das sete vítimas que estavam na aeronave experimental do ex-presidente da Vale Roger Agnelli foram identificados pela Polícia Técnico-Científica. O avião de fibra de carbono bateu contra uma casa na Casa Verde, no último sábado, 19, logo após decolar do Campo de Marte. 

Segundo a Secretaria de Estado de Segurança Pública, além dos restos mortais do executivo, também foram reconhecidos os despojos da mulher dele, Andrea de Azevedo Marque Trench Agnelli, do casal de filhos Anna Carolina Trench Agnelli Bittencourt e João Trench Agnelli, de Parris Ventura Bittencourt, Carolina Ambroso Mascarenhas Marques e do piloto da aeronave, Paulo Roberto Bau. 

De acordo com a pasta, o trabalho foi realizado pelo Núcleo de Antropologia do Instituto Médico Legal (IML). A identificação de três das vítimas foi feita por meio de digitais e as outras quatro de forma antropológica. A secretaria disse que apenas o corpo de Bau ainda está no IML Central aguardando a retirada da família. 

No início da tarde deste domingo, 20, peritos do Centro de Investigações e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), deixaram o sobrado onde o avião caiu. De acordo com a Força Aérea Brasileira (FAB), eles não encontraram a caixa-preta da aeronave, o que deve dificultar as investigações. Agora, os investigadores vão solicitar os áudios entre o piloto e a torre de controle do Campo de Marte para verificar se houve troca de informações sobre problemas na decolagem.  

Comentários