Ilhas são refúgio vip no litoral norte

Separados das praias tradicionais - e lotadas - apenas por um passeio de barco, recantos permanecem intocados mesmo no verão

DIEGO ZANCHETTA, O Estado de S.Paulo

31 Dezembro 2011 | 03h01

Não só donos de iates luxuosos podem desfrutar de um banho de mar em ilhas de águas calmas e isoladas da lotação das praias paulistas. No verão do litoral norte, uma das principais opções para quem quer uma orla mais exclusiva são os passeios em lanchas para ilhas abertas à visitação na costa de São Sebastião e Ubatuba.

A partir de praias como Juqueí, Barra do Sahy e Barra do Una, é possível alugar uma lancha e partir para um dia de sossego na paradisíaca Ilha das Couves. Em 40 minutos, a embarcação chega ao destino e deixa os turistas, que combinam com o barqueiro um horário de volta. Foi a opção encontrada pela empresária de Campinas Martha Vieira de Godoy, de 36 anos, para "fugir da mesmice". O passeio sai a R$ 50 por pessoa. "Aqui só trago cadeira, toalha e garrafa de água. Fico umas três horas nadando e nem percebo o tempo passar."A cor verde esmeralda do mar da Ilha das Couves e as águas mornas, com visibilidade superior a 15 metros, são ideais para a prática de mergulho livre, com snorkel, máscara e pé de pato, sem cilindros. Dá para observar tartarugas, peixes coloridos e um conjunto de corais bem preservados, já que grandes embarcações não atracam na orla.

Pelo mar da Ilha das Couves, avista-se a Toca da Velha, uma pequena caverna escavada pela ação do mar em uma rocha de cerca de 12 metros de altura. No alto da ilha, edificações de uma pousada que começou a ser construída em 2008, mas foi embargada pela Marinha três meses depois - não é permitido acampar ou permanecer à noite na ilha, uma área de preservação considerada reduto de reprodução de diferentes espécies de mariscos.

Da Praia de Camburi, o "frete" até o arquipélago formado pelas Praias As Ilhas, Montão de Trigo e dos Gatos é feito pelos próprios donos de pousadas - alguns chegaram a comprar lancha neste ano para oferecer o atrativo aos hóspedes, que têm direito a isopor lotado de bebidas, lanche natural, guarda-sol e cadeira. Por isso mesmo o serviço embutido pelas pousadas sai o dobro do valor cobrado pelos lancheiros que ficam na praia - cerca de R$ 100 por pessoa.

Vips. No conjunto de praias conhecido como As Ilhas, donos de iates e possantes lanchas continuam sendo maioria na orla vip da Praia de Fora. Mas já é visível o aumento de frequentadores que passaram a alugar lanchas para fazer "bate-volta" nas ilhas.

Na Montão do Trigo, a única ilha habitada por cerca de 70 pescadores entre as abertas à visitação, também é possível praticar mergulho profissional com cilindro e windsurfe.

"Todo o conjunto de ilhas de São Sebastião, incluindo Ilhabela, fazem parte de uma antiga formação vulcânica milenar. Esse conjunto de ilhas em sequência, com a Serra do Mar ao fundo, formam um cenário peculiar em todo o litoral brasileiro. É a Mata Atlântica selvagem em composição com um mar cristalino. Isso não existe em nenhum outro lugar da costa brasileira", afirma o guia Horácio Moraes, de 56 anos, dono de duas lanchas que levam turistas da Barra do Sahy para as Ilhas das Couves e Montão do Trigo.

Em Camburi, outra orla que costuma ficar lotada nesta época do ano, o turista pode pegar uma lancha para passar o dia na Ilha dos Gatos, outro oásis de sossego em meio às praias tomadas por um mar de guarda-sóis. O local tem até uma história interessante: as ruínas no alto de um dos morros seria de uma mansão construída nos anos 1920 pelo então presidente norte-americano John Davison Rockefeller (1839-1937).

O casarão tem biblioteca e restos de louças finas espalhados pelo chão que teriam sido levados pelo ex-presidente. O local acabou interditado pelo governo federal nos anos 1950. Muitos pescadores procuram a praia por causa da abundância de robalos, o peixe mais consumido pelos turistas no litoral norte. O local é rota de baleias, vistas com frequência durante o inverno, entre junho e setembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.