Homem tenta invadir prédio comercial no Tatuapé

Alarme disparou e porteiro chamou a polícia; suspeito teria fugido pulando os telhados de casas vizinhas

Daniela do Canto, estadão.com.br

15 Abril 2009 | 06h11

Um homem tentou invadir um prédio comercial no início da madrugada desta quarta-feira, 15, no Tatuapé, zona leste de São Paulo. O porteiro do Edifício Tuiuti Center, na Rua Tuiuti, percebeu a movimentação e avisou a polícia. Seis viaturas do 8º Batalhão e o helicóptero Águia da Polícia Militar foram até o local, mas não localizaram o suspeito. Os policiais acreditam que, depois de ter saído do local pulando sobre os telhados de casas vizinhas, ele tenha fugido pela tubulação de água pluvial de um prédio próximo.

 

O porteiro Fernando da Silva Martins, 29 anos, contou que estava na sala de monitoramento por câmeras quando tudo aconteceu, mas não percebeu nenhuma movimentação anormal nas filmagens. O alarme do prédio disparou e o porteiro também ouviu os gritos de um vizinho. Ele então resolveu subir até a laje do prédio, no 11º andar, para saber o que havia acontecido.

 

"Ele (o suspeito) me viu e correu para os fundos. Ele fugiu pulando as telhas", contou Martins, que acionou a PM em seguida, por meio do telefone 190. De acordo com o porteiro, o suspeito quebrou a janela de uma loja do prédio para entrar no imóvel, mas ele nem chegou a entrar e nada foi levado.

 

Segundo os PMs, na fuga o homem usou uma tábua de aproximadamente oito metros de comprimento para fazer uma espécie de "ponte" e se locomover de um telhado para o outro. Em seguida, o suspeito se escondeu em um prédio comercial de dois andares, na mesma rua. Depois, não foi mais visto. Conforme os policiais, nos fundos desse prédio há uma boca-de-lobo, por onde ele teria fugido. A polícia fez buscas no local, mas não localizou nenhum suspeito até as 4 horas desta quarta-feira.

 

Comparsa

 

Ainda conforme o porteiro, um Vectra prateado estava estacionado em frente ao prédio. Dentro do veículo, estaria um possível comparsa do homem que tentou invadir o prédio. "Só não consegui ver direito quem estava dentro porque o vidro tinha insulfilm", justificou.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo polícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.