1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Hoje, na Paulista, festa e protesto

Márcio Pinho e Felipe Frazão - O Estado de S.Paulo

18 Junho 2011 | 00h 00

Só neste fim de semana haverá três marchas: Skateada, 'Bons Drink' e da Liberdade

A capital, especialmente a Avenida Paulista, tem sido palco de marchas, paradas e encontros que a cada fim de semana levam às ruas manifestantes com bandeiras políticas e também pessoas que querem apenas se divertir. Depois das marchas das Vadias e contra o aumento da passagem de ônibus, hoje é a vez de a Paulista receber a 2.ª edição da Marcha da Liberdade e a inusitada Marcha dos "Bons Drink". Amanhã, skatistas também farão seu protesto.

A Marcha da Liberdade nasceu depois da repressão policial à marcha da maconha, realizada em maio. A de hoje será a primeira depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) liberou os protestos pela legalização da maconha e deve reunir diversos grupos em passeata.

Também na Paulista, na Praça dos Arcos, a Marcha dos "Bons Drink" deverá atrair os festeiros. O nome no singular é igual à expressão usada pela travesti Luisa Marilac, que virou celebridade com o vídeo que gravou na piscina de sua casa na Espanha e que já teve mais de 1,5 milhão de acessos na internet.

No convite da marcha no Facebook, divertir-se e beber são os chamarizes. "Paulistano não vai à praia, vai à marcha. Peguem suas taças, seu baldinho de gelo, seus destilados favoritos e vamos em frente, pessoal." Nove mil pessoas confirmaram presença, mas só uma parte deve ir.

Skate. Milhares de skatistas, entre amadores e profissionais, vão ocupar amanhã as pistas da Paulista por uma causa: a prática do esporte na Praça Roosevelt, no centro, que está em reconstrução. Os organizadores querem reunir 5 mil pessoas em uma volta de skate até a região central, passando pelo Vale do Anhangabaú. "A presença dos skatistas nas praças urbanas é benéfica, evita a ocupação por indigentes e usuários de drogas", diz o organizador Felipe Motta.

A iniciativa faz parte da comemoração antecipada do Dia Mundial do Skate - 21 de junho. Haverá eventos em outras dez capitais: em Brasília, skatistas vão descer a rampa da Esplanada dos Ministérios; no Rio, pedem a legalização do skate na Praça XV.

"Toda manifestação acaba tendo um caráter político, até um churrasco é uma forma de se manifestar contra o status quo", afirma o cientista social Marco Magri, organizador da marcha da maconha. Ele comemora o fato de as manifestações ocorrerem sem a participação de sindicatos nem partidos.

  • Tags: