Haja paciência

Haja paciência

Desde dezembro de 2009 tenho sido cobrado duplamente pelo Cartão Ourocard Platinum/Visa, do Banco Nossa Caixa, por uma mesma compra (3 parcelas de R$ 1.591,68, num total de R$ 4.774,98). Essa duplicidade de lançamentos pode ser observada tanto na fatura de janeiro como nas de fevereiro e março. Não há nenhuma dúvida sobre essa duplicidade, já que o número de autorização dos dois pagamentos é o mesmo. Entrei em contato com o banco várias vezes por telefone e já coleciono vários números de protocolos. Funcionários do Banco Nossa Caixa me deram razão, mas não solucionaram o problema. Depois de 2 meses, as três parcelas foram devolvidas, além da taxa cobrada por exceder o limite do cartão. Porém, ao consultar a fatura de março de meu cartão, verifiquei que a devolução das três parcelas fora revertida!

, O Estadao de S.Paulo

01 Abril 2010 | 00h00

LUÍS EDUARDO SOARES NETTO / SÃO PAULO

O Banco Nossa Caixa lamenta o ocorrido e informa que os valores reclamados pelo sr. Soares Netto, acrescidos dos encargos gerados por essas movimentações, foram estornados à sua conta corrente em 25/3. O banco informa ainda que a Central de Cartões Nossa Caixa entrou em contato com o cliente para lhe prestar os devidos esclarecimentos e informá-lo sobre as medidas tomadas.

O leitor contesta: Infelizmente, o problema não foi resolvido. Eles me pagaram somente o valor que cobraram em duplicidade, sem incluir encargos como juros e correção monetária. Esse problema se vem arrastando desde dezembro, portanto, os juros devem ser calculados sobre todos esses meses. Estou reivindicando ainda ressarcimento por danos morais.

SEM PARAR

Ressarcimento difícil

No início de janeiro, ao passar por um pedágio na Rodovia dos Bandeirantes, recebi a proposta de usar o serviço Sem Parar por 30 dias, sem precisar pagar pela instalação e pelo uso do equipamento. Eu teria apenas de pagar pelo pedágio, cada vez que passasse por um. Quase um mês depois, devolvi o equipamento num posto da empresa. Dias depois, houve um débito em minha conta corrente referente aos valores dos pedágios. Até aí tudo certo. Porém, foi feita ainda uma cobrança com vencimento em março, no valor de R$ 18,89 pelo uso do equipamento. Tentei entrar em contato com o site da Via Fácil, sem sucesso. O telefone 0800 015 0252 só dá ocupado e no site não há e-mail para contato.

EDUARDO MARQUES PEREIRA DANTAS / CAMPINAS

A STP informa que a promoção oferecida ao cliente se chama "Test Drive" e tem como objetivo oferecer um período de experimentação de 30 dias sem cobrar pelos serviços (o cliente paga somente as passagens pelos pedágios e estacionamentos). Explica que, após esse prazo, se o cliente gostou e não devolveu o aparelho, o sistema automaticamente cobra a adesão e passa a cobrar as mensalidades. Diz ainda que essas regras são entregues por escrito para todos os clientes no momento da venda. Esclarece que o valor de R$ 18,89, mencionado pelo cliente, se refere a utilizações e um valor proporcional de mensalidade, que, infelizmente, foi cobrado indevidamente por erro no registro de devolução do aparelho. A empresa diz que entrou em contato com o cliente para prestar esclarecimentos e que efetuou o reembolso por depósito em

conta corrente.

O leitor comenta: Realmente a empresa entrou em contato comigo pelo telefone e funcionários afirmaram que os R$ 18,89 seriam devolvidos, embora, segundo o Código de Defesa do Consumidor, a empresa deva reembolsar em dobro os valores cobrados indevidamente. Mas, até o presente momento, ainda não fizeram o depósito na minha conta.

EMBRATEL

Ligações cortadas

Adquiri um aparelho Nokia pelo plano pós-pago da Embratel há 2 meses. Antes, quando o plano era pré-pago, nunca tive problemas. Mas agora ele não funciona direito. Trabalho com vendas e necessito de uma linha telefônica. Entrei em contato com a Embratel para resolver o problema, pois, quando o cliente não me escuta durante um telefonema, tenho de retornar a ligação, o que gera um custo maior. Quando fiz o plano, meu propósito era gastar R$ 50 por mês de conta telefônica, mas, por causa desse problema, a fatura deste mês já ultrapassou os R$ 200.

DOUGLAS ROMUALDO DA SILVA

/ SÃO PAULO

O Atendimento Livre informa que, após análise técnica, a linha do

sr. Silva está habilitada para efetuar e receber ligações normalmente. Diz que o cliente ficou satisfeito com o retorno fornecido pela empresa.

O leitor contesta: O problema continua.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.