Werther Santanta/AE
Werther Santanta/AE

Haddad quer aumento da gasolina para financiar tarifa de ônibus mais barata

Ele apresentou dados preliminares de um estudo da FGV que mostram que um aumento de R$ 0,50 no litro da gasolina possibilitaria um subsídio de R$ 1,20

Artur Rodrigues, O Estado de S. Paulo

13 Agosto 2013 | 15h56

SÃO PAULO - O prefeito Fernando Haddad (PT) quer subir o preço da gasolina para financiar uma passagem de ônibus mais barata. Ele apresentou dados preliminares de um estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) que mostram que um aumento de R$ 0,50 no litro da gasolina possibilitaria um subsídio de R$ 1,20. Com isso, a passagem poderia custar R$ 1,80. Atualmente, a tarifa custa R$ 3 - após protestos em junho o aumento de R$ 0,20, para R$ 3,20, foi suspenso. 

"Isso quer dizer que a demanda social por subsídio à tarifa é possível desde que haja uma fonte de financiamento. A melhor fonte de financiamento é aquela que inibe o uso do carro",disse Haddad.

De acordo com a pesquisa, a deflação causada pela medida seria de 0,026%. A estimativa é de que 78% da população seria beneficiada pela ação. A taxa sobre a gasolina seria feita pela municipalização da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide). Pela lei atual, o tributo seria repassado para a União e os Estados. As partes não estão recebendo porque, no ano passado, justamente para neutralizar o aumento da gasolina, o governo reduziu a zero a alíquota.

Mais conteúdo sobre:
Cide Fernando Haddad

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.