1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Haddad lança edital do Hospital de Parelheiros no sábado

Adriana Ferraz - O Estado de S. Paulo

22 Agosto 2014 | 03h 00

Unidade na zona sul da capital paulista deve ser primeira a ter as obras iniciadas pela atual gestão; outras duas são prometidas

A Prefeitura abre neste sábado (23) o processo de licitação para contratação das obras do Hospital Municipal de Parelheiros, no extremo da zona sul de São Paulo. A unidade deve ser entregue pela gestão de Fernando Haddad (PT) no fim de 2016. Promessa de campanha, o hospital terá 255 leitos, incluindo vagas para tratamento psiquiátrico. O custo estimado é de R$ 212 milhões, a serem pagos pelo Ministério das Cidades, por meio do programa Mananciais.

O lançamento do edital ocorre quatro meses após a entrega do projeto executivo à Caixa Econômica Federal, que avalia a possibilidade do repasse de verbas federais. O financiamento foi obtido dentro de um programa de reurbanização da região, o que inclui a construção de novos equipamentos públicos, como escolas, creches, postos de saúde e hospital. Todo o conjunto de obras, segundo a Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana, está avaliado em R$ 4 bilhões.

Divulgação
Centro médico em Parelheiros terá 255 leitos e custará R$ 212 milhões

Segundo Haddad, o novo hospital ajudará a desafogar o atendimento médico na zona sul - hoje, o hospital-geral mais próximo é o de Grajaú, que pertence à rede estadual e não é suficiente para dar vazão à demanda. A expectativa é que a nova unidade atenda 180 mil pessoas.

Dados da Secretaria Municipal da Saúde indicam que a zona sul, a maior da capital, é carente de atendimento hospitalar. São apenas 0,7 leito público para cada mil habitantes, quando o Ministério da Saúde preconiza de 2 a 3 leitos para cada grupo de mil habitantes.

De acordo com o projeto, o futuro Hospital Municipal de Parelheiros oferecerá pronto-socorro, maternidade, hospital dia, hospital-escola e centro de apoio de diagnóstico. Serão contempladas especialidades como clínico-geral, pediatria, cirurgia, ortopedia, ginecologia e radiologia, entre outras.

Ao todo, serão 31 mil m² de área construída. O terreno escolhido fica entre as Ruas Euzébio Goghi e Cacual. Mas, segundo Haddad, ainda precisa ter a desapropriação concluída para o início das obras.

Brasilândia. A Prefeitura também pretende tirar do papel a licitação do Hospital Municipal de Brasilândia, na zona norte. A expectativa é lançar o edital em poucas semanas, para que ambas as obras tenham cronograma de entrega semelhante. No plano de Haddad, consta ainda um novo hospital na zona leste, sem data para ser lançado. A unidade mais próxima da inauguração, no entanto, fica no Jabaquara. É o Hospital Santa Marina, comprado pela Prefeitura e atualmente em reforma. /COLABOROU MARCO ANTÔNIO CARVALHO

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo