Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Haddad defende CET e evita criticar secretário de Transportes

Prefeito desconversou sobre ter ou não solicitado Tatto a voltar atrás do anúncio do projeto de fechar expressas das Marginais

Juliana Diógenes, O Estado de S. Paulo

31 Julho 2015 | 14h44

SÃO PAULO - No dia seguinte à confusão causada pelo secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, que anunciou proposta de fechamento das pistas expressas das Marginais às madrugadas e horas depois recuou, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), que não sabia do projeto, evitou fazer críticas a Tatto e defendeu a Companhia de Engenharia do Tráfego (CET). 

Questionado se o próprio Haddad havia solicitado que o secretário voltasse atrás da declaração, recuo que ocorreu sete horas depois de Tatto ter dado detalhes sobre o projeto piloto da CET, Haddad desconversou. "Não chegou a mim o assunto. Nem me foi submetido. Tem que perguntar para ele (Tatto)", disse no início da tarde desta sexta-feira, 31, durante inauguração de uma creche em Marsilac, na zona sul da capital paulista.

O prefeito afirmou que a CET executa a "melhor engenharia de trânsito do Brasil" e defendeu que é preciso "deixar" a Companhia trabalhar, "que eles vão fazer o melhor para a cidade". 

"Um dos grandes erros das gestões anteriores foi justamente sufocar a capacidade técnica da CET. A CET queria trabalhar e os gestores, por medo de fazer propostas que a cidade precisava e precisa, sufocaram a CET", criticou Haddad.

Desencontro. Na manhã desta quinta-feira, 30, Tatto disse que a intenção do bloqueio era reduzir os acidentes entre meia-noite e 5 horas, período em que a CET fecharia os acessos às pistas expressas com cancelas semelhantes às usadas pela empresa no Elevado Costa e Silva.

“Ajuda na segurança, porque é o momento em que os motoristas, principalmente de caminhões, usam para correr muito, causando acidentes”, explicou. No mesmo horário da entrevista de Tatto, Haddad estava em uma agenda pública em São Miguel Paulista, na zona leste.

Lá, o prefeito demonstrou surpresa ao ser questionado pelo Estado sobre o fechamento das pistas. “Ele (Tatto) falou que está em elaboração? Não chegou ao meu conhecimento. Estou sabendo por você”, respondeu Haddad. Antes de o prefeito conceder entrevista, a reportagem voltou a falar com o secretário por telefone, que deu detalhes sobre o projeto-piloto da CET.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.