Hackers com vocação republicana

Eles já estão criando aplicativos para facilitar o acesso a dados públicos; [br]é a tal transparência virando realidade

, O Estado de S.Paulo

27 Abril 2010 | 00h00

Transparência é uma das palavras da moda na gestão pública. É também uma oportunidade de ouro para "hackers do bem", capazes de criar ? dentro do setor público e fora dele ? ferramentas que facilitem o acesso da sociedade a informações sobre despesas e outros atos administrativos. E o melhor disso tudo é que já existem candidatos a "hackers do bem".

Em outubro, alguns deles encontraram-se na primeira edição do Transparência HackDay (foto), na Casa de Cultura Digital, em São Paulo. "Não teve um criador, foram vários. De um lado tinha programadores, de outro, ativistas. Resolvemos juntar tudo", diz o jornalista Pedro Markun, de 24 anos.

Durante dois dias, jovens criaram aplicativos para tirar informações de sites do governo. Bruno Barreto, de 20, inventou um aplicativo que mapeou todas as reclamações feitas por internautas no site da Prefeitura de São Paulo. Descobriu que o campeão de queixas é o repasse do programa Bolsa Família; em segundo lugar, ficou a poda de árvores; e, em terceiro, buracos nas ruas. Barreto postou o aplicativo no site http://sacsp.mamulti.com. "Fui procurado pela Prefeitura, querem alguém para ajudar num tipo de consultoria para criar um site público com essas informações."

"Temos ações focadas nos jovens", afirma Izabela Moreira Correa, gerente da Diretoria de Prevenção à Corrupção da Controladoria Geral da União (CGU), órgão que mantém o Portal da Transparência. Uma delas é a realização de eventos em universidades para explicar como é o combate à corrupção e como acessar as ferramentas do portal. "Eles gostam de saber e fazem muitas perguntas."

/CAROLINA STANISCI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.