1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Grupo protesta na estação Sé contra os encoxadores do metrô

Mônica Reolom - O Estado de S. Paulo

02 Abril 2014 | 17h 18

Com faixas que dizem 'Eu não mereço ser encoxada' e 'Mulheres, levantem-se contra o machismo', os integrantes ficaram visíveis a quem passava pela catraca

Atualizado às 21h12

SÃO PAULO - Vinte pessoas fizeram um "rolezinho", no fim da tarde desta quarta-feira, 2, dentro da Estação Sé do metrô, contra os "encoxadores" que atuam no sistema. Elas também defendiam a campanha "eu não mereço ser estuprada". Os manifestantes portavam faixas com os dizeres: "Eu não mereço ser encoxada" e "Mulheres, levantem-se contra o machismo".

Com um microfone na mão, a organizadora do evento e integrante do Levante Popular da Juventude, Laryssa Sampaio, explicou o objetivo do ato: "Vagão exclusivo não nos representa. Nós queremos medidas do Metrô para prevenir as ‘encoxadas’. Mas, em vez de fazer isso, o Metrô contribui para esses atos ao dizer que trem é local de paquera. Não é", afirmou, fazendo referência a uma propaganda na Rádio Transamérica em que o locutor afirmava que metrô era bom para "xavecar as mulheres".

A dona de casa Edinéia Cunha Caetano, de 51 anos, apoiou o ato. "Os homens se aproveitam no Metrô. Acho um absurdo e não aceito que isso aconteça. Demorou para fazerem protesto contra tudo isso", disse.

Do movimento Fora do Eixo, Gabriel Ruiz, de 29 anos, participou do protesto por achar que homens precisam se engajar nessa luta. "Não concordo com o machismo que é praticado não só no Metrô, mas no dia a dia das mulheres. Elas são agredidas visualmente e verbalmente. Essa é uma luta de todo mundo", defendeu.

Os manifestantes caminharam pela estação e encerraram o ato entoando uma paródia do Rap da Felicidade: "Eu só quero é ser feliz, andar tranquilamente com a roupa que escolhi. E poder me assegurar que de burca ou de biquíni todos vão me respeitar".