Assine o Estadão
assine

São Paulo

SÃO PAULO

Estado multa em R$ 10 milhões Localfrio por vazamento no Guarujá

Relatório da Cetesb diz que empresa causou danos à saúde da população após a ruptura de contêiner com 20 toneladas de produto

0

Paula Felix,
O Estado de S. Paulo

22 Janeiro 2016 | 14h00

SÃO PAULO - O governador Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou nesta sexta-feira, 22, que a empresa Localfrio será multada em R$ 10 milhões pela emissão de "efluentes gasosos tóxicos para a atmosfera, riscos e danos à saúde da população" após o incêndio e vazamento de gás em um terminal de cargas no Guarujá, litoral de São Paulo, na semana passada. Uma idosa de 68 anos morreu depois de ter inalado a fumaça.

A empresa foi notificada pela Agência Ambiental de Santos da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb).

Segundo o relatório dos técnicos da Cetesb, a ruptura de um contêiner com 20 toneladas do produto dicloroisocianurato de sódio dihidratado permitiu a entrada de água das chuvas, o que em uma reação química causou o incêndio. Depois de 50 horas, o fogo que atingiu 66 contêineres foi contido. 

Ainda segundo o órgão ambiental, a fumaça tóxica atingiu moradores, obrigados a deixar suas casas, dos bairros vizinhos ao terminal da empresa dos municípios de Guarujá, Santos, São Vicente e Cubatão, todos no litoral sul. Foram registrados 170 casos de atendimento nos centros médicos.

De acordo com o governo estadual, a interrupção da travessia das balsas marítimas entre Santos e Guarujá e o fechamento do canal de navegação do Porto de Santos, de estabelecimentos comerciais e industriais da região também trouxeram prejuízos à população. 

Procurada, a Localfrio afirmou que recebeu a notificação nesta sexta-feira e que está reunida para decidir que medida tomará em relação à multa.

Comentários