Garis e lixeiros ameaçam greve

Os garis e os lixeiros da cidade de São Paulo prometem greve por tempo indeterminado a partir de terça. Eles alegam que o Sindicato das Empresas de Limpeza Urbana no Estado (Selur) não renovou uma cláusula social de trabalho que expirou em fevereiro. A partir das 6 horas de terça-feira, a capital deverá ficar sem coleta de lixo domiciliar, varrição de ruas, manutenção e serviços complementares (limpeza de feiras, monumentos, praças, etc). A greve está marcada para um período em que as empresas contratadas pela Prefeitura - Ecourbis e Loga - reivindicam reajuste nos contratos.

, O Estado de S.Paulo

23 Abril 2010 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.