Mário Ângelo/Sigmapress
Mário Ângelo/Sigmapress

Furto de cabos de sinalização reduz velocidade da linha 7 da CPTM

Equipe identificou a ausência dos cabos de energia no início das operações, às 4 horas; dois sentidos estão afetados

Sara Abdo, O Estado de S.Paulo

17 Agosto 2017 | 08h28
Atualizado 17 Agosto 2017 | 12h47

SÃO PAULO - O furto de cabos e equipamentos de sinalização provocou alterações na linha 7 - Rubi da Companhia Companhia Paulista de Trens Metropolitanos  (CPTM) na manhã desta quinta-feira, 17. Os trens estão circulando com velocidade reduzida e maior tempo de parada nos dois  sentidos da linha.

O furto dos materiais de sinalização na região da estação Varzea Paulista foi percebido logo no início das operações, às 4 horas. Toda a extensão da linha, entre Jundiaí e Campo Limpo Paulista, foi afetada. "A velocidade está reduzida por motivos de segurança", informou a CPTM sobre a situação do trecho, que inclui 3 estações que ligam a região metropolitana à capital paulista.

Em nota, a CPTM confirmou o ato de vandalismo e informou que as equipes de manutenção da Companhia estão atuando no local para restabelecer o sistema.

Os vândalos furtaram 360 metros de fios e um transformador do poste do sistema de rede aérea, além de terem destruído a caixa de locação (onde ficam os circuitos e equipamentos de sinalização que fazem a interface entre a via e o Centro de Controle Operacional). A previsão é que os trabalhos sejam concluídos no próximo fim de semana. 

A circulação, portanto, continuará nesse período com velocidade reduzida e maior tempo de parada na extensão da Linha 7-Rubi (Francisco Morato - Jundiaí), que atende cerca de 25 mil usuários nos dias úteis

O trecho principal da linha, entre Luz e Francisco Morato, com demanda de mais de 400 mil passageiros por dia útil, não foi afetado.  

Os usuários estão sendo orientados através do serviço de som das estações e trens e pelas redes sociais. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.