Divulgação
Divulgação

Funcionário de Cumbica é preso por desviar bagagens da fiscalização

Segundo a polícia, dois passageiros também foram presos; eles compraram mercadorias em Miami e pretendiam vender em São Paulo sem pagar impostos

Alexandre Hisayasu, O Estado de S. Paulo

23 Setembro 2016 | 20h33

Uma investigação conjunta das polícias Civil e Federal descobriu um esquema no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, no qual funcionários terceirizados desviavam bagagens de passageiros para que não passassem pela alfândega. Um funcionário e dois passageiros foram presos em flagrante.

Segundo o delegado Osvaldo Nico Gonçalves, diretor do Departamento de Capturas e Delegacias Especializadas (Decade), a polícia recebeu uma denúncia de que malas de passageiros de voos internacionais estavam desaparecendo. 

Nesta sexta-feira, 23, os investigadores monitoraram passageiros que chegaram de Miami. Um homem e uma mulher, que embarcaram com três malas cada um, desembarcaram apenas com uma. Os policiais descobriram que eles pagaram US$ 250 por cada mala a um funcionário, que as entregou do lado de fora do aeroporto.

"As malas estavam cheias de roupas, brinquedos e outros tipos de mercadorias que seriam revendidos em São Paulo. A mulher confessou que vende produtos pela internet. As compras das mercadorias são feitas em Miami", contou o delegado. Os três foram autuados por crime de descaminho pela Polícia Federal. Como ocorreu em um voo internacional, a pena pode chegar a oito anos de prisão.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.