''Fui ao país sem avisar. Fiquei 1 mês''

Navegador, de 55 anos, filho de pai libanês e mãe sueca

, O Estado de S.Paulo

24 Abril 2010 | 00h00

"Conheci o Líbano na minha primeira viagem aventuresca de verdade, aos 16 anos. E foi sem planejar, no meio de um mochilão em que não deveria sair da Europa. Mas consegui uma passagem até Beirute e quis conhecer meus familiares. Cheguei sem avisar e a hospitalidade me surpreendeu. Tios, tias, primos, abriram todas as portas, me trataram com o melhor o tempo todo. Acabei ficando um mês. Depois, fui a Beirute no meio da guerra civil, que devastou o país entre 1975 e 1990. Me impressionei com a capacidade de seguir em frente das pessoas. De repente, um terrorista entrava em um supermercado com uma metralhadora. Ele pegava o que quisesse, mas nada parava - a vida seguia normal, as compras precisavam continuar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.