1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Foto de pássaros no fio publicada no 'Estado' vira música

Valéria França

02 Setembro 2009 | 00h 43

Públicitário e músico, Jarbas Agnelli visualizou partitura na imagem captada pelo fotógrafo Paulo Pinto

Tudo começou com a foto de pássaros pousados nos fios de luz de uma rua feita pelo repórter fotográfico do Estado Paulo Pinto, de 49 anos, no interior do Rio Grande do Sul. Uma cena normal, dependendo do olhar. Para o paulistano Jarbas Agnelli, de 46 anos, a imagem "soou" como música. Notas numa partitura foram o que lhe pareceram as aves nos fios de alta tensão. Publicitário e músico, Agnelli recortou a foto publicada no Estado na quinta-feira passada e, naquela noite, no estúdio de sua casa, começou a compor com base nas notas que enxergou na imagem.

 

 

"Pássaros empilhados viraram acordes e os solitários, notas no teclado", diz Agnelli. "Depois coloquei o xilofone e, na sequência, clarinete, fagote e oboé." João, de 17 anos, o filho do meio de Agnelli, não botou fé no movimento do pai, apesar de estar acostumado a vê-lo criar em cima de filmes e fotos caseiras. Foi o que Jarbas fez, por exemplo, com as fotos da pequena Nina, sua caçula de 4 meses, no vídeo The Mini Adventures of Nina, que mostra de forma engraçada a rotina de um bebê.

 

Jarbas é conhecido publicitário, com campanhas premiadas. Já levou o Grand Clio, um dos principais prêmios da publicidade mundial, em 2001, entregue em Miami. Na época, ele trabalhava ainda na W/Brasil, agência em que ficou por 13 anos. Hoje, tem seu próprio negócio, o AD Studio. "A inspiração pode vir de qualquer lugar, mas é preciso estar atento", diz ele.

 

Assim que a música dos pássaros ficou pronta, Agnelli ligou para Paulo Pinto. "Não acreditei que ele tivesse entendido o que eu vi na hora que fiz a foto. Para mim, os pássaros também pareciam notas", admirou-se Paulo, que mandou por e-mail a foto original, sem cortes. "Quando recebi, vi que a versão editada no jornal tinha eliminado oito pássaros, ou seja, quatro notas no início e quatro no final da música", diz o publicitário. "Fiquei surpreso porque era exatamente o que faltava para finalizar a melodia."

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo