Filho diz que major era um bom pai e grande negociador

Uma pessoa esforçada, que se preparou para atuar na Polícia Militar e sempre alcançou seus objetivos na vida. É dessa forma que o estudante Jeremias Andrade, um dos filhos do major Sérgio Moretti da Silva Andrade, classificou o pai morto anteontem. "Ele fez diversos cursos de negociação nos Estados Unidos e no Brasil. Sempre passou a imagem de um pai bom", disse o adolescente ontem, em entrevista à TV Globo.

O Estado de S.Paulo

09 Dezembro 2011 | 03h04

Entre os colegas da corporação, o major Andrade era admirado sobretudo por "não deixar a tropa a pé", o que quer dizer não deixar a tropa sem comando. Para quem o conhecia, foi essa característica que o levou a participar da ocorrência, mesmo no horário de folga.

Jeremias ressaltou ainda o treinamento obtido pelo policial nos cursos que fez com a equipe da Swat, que era motivo de orgulho para os parentes. Para o estudante, o pai era um verdadeiro negociador. Para a polícia, hoje é um herói. A mulher do major não se pronunciou ontem. /A.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.