Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Festival cultural abre nova fase do Castelinho da Rua Apa

Após restauração, local sedia o primeiro evento aberto ao público

Fabiana Cambricoli, O Estado de S.Paulo

07 Maio 2018 | 01h15

SÃO PAULO - Um ano após reabrir restaurado, o Castelinho da Rua Apa, no centro de São Paulo, sediou neste domingo, 6, o primeiro evento aberto ao público desde sua reinauguração, em abril do ano passado.

Organizado por artistas e produtores culturais, o festival Geleia com Artes levou ao espaço exposição e venda de obras de arte e música ao vivo. "Sempre pensamos em fazer um festival que misturasse diversas linguagens. Moro aqui no centro e sinto que faltam mais iniciativas como essa, por isso procuramos o Castelinho", relata Pedro Orlando, de 27 anos, um dos organizadores do evento.

+++ De mal-assombrado a bem-vindo: a volta do Castelinho da Rua Apa

Ele conta que mais de 30 artistas participaram do festival e que a ideia é que novas edições do evento sejam realizadas.

Frequentadores do festival se mostravam surpresos ao entrar no prédio restaurado após décadas de abandono. "Além de prestigiar amigos que expõem no festival, vim conhecer o Castelinho por dentro e fiquei impressionado com a recuperação. Dava muita dó passar aqui na frente e ver a degradação do local", conta o analista Wagner Fernandes Guien, de 40 anos.

+++ Como será feita a reforma do castelinho da Rua Apa

Presidente da ONG Clube de Mães do Brasil, responsável pela restauração e administração do Castelinho, Maria Eulina Hilsenbeck conta que o festival é o primeiro de diversos eventos previstos para o espaço. "No final de maio, teremos uma oficina de empoderamento feminino e, a partir de agosto, vamos promover cursos de culinária para alunos de escolas públicas", conta.

Ela diz que o Castelinho está disponível para aluguel para eventos particulares, como casamentos, mas que o foco do local é oferecer atividades para públicos de maior vulnerabilidade social, como moradores de rua. "Todos os últimos domingos do mês, temos ação social para essa população, como corte de cabelo, assessoria jurídica", diz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.