''Favelado'' vira herói de game

Em jogo gratuito, objetivo é roubar e dominar gangues cariocas até conquistar o Maracanã

Gabriela Moreira, O Estado de S.Paulo

21 Abril 2010 | 00h00

"Você é um favelado, sem lenço nem documento, perdido nas ruas do Rio de Janeiro. O seu objetivo é melhorar de vida, conquistar as ruas e se tornar um milionário. Para isso peça esmolas, junte-se a outras gangues, lute e melhore suas técnicas para ganhar mais". Essa é a apresentação de um jogo gratuito na internet. Original da Alemanha e lançado ontem, o game já conta com 17.062 usuários.

Com o slogan "Torne-se um favelado! Grátis e sem riscos!", o objetivo do jogo é conquistar o Estádio do Maracanã. Para tanto, os usuários devem se embebedar e praticar crimes como assaltar motoristas, promover briga entre animais e roubar igrejas. Assaltar um carrinho de cachorro quente rende R$ 25.

Criado por dois jovens alemães de 21 anos, o jogo já existe em sete países. Segundo a empresa Farbflut Entertainment, ao todo há 4 milhões de jogadores. "Na Alemanha e na França muitos políticos e organizações de apoio aos menores e moradores de rua criticam o jogo pois não concordam com a caracterização satírica dos moradores de rua", diz um dos fundadores, Marius Follert.

O governo estadual do Rio não comentou o game. Já a ONG Observatório de Favelas se posicionou contra. "Isso é um desrespeito com o ser humano que mora nas favelas e na cidade, em geral. Vamos nos reunir para apresentar uma crítica conjunta", disse o coordenador Jorge Barbosa. Para o coordenador Jaílson de Souza, o jogo é mais do que preconceituoso. "Isso é nazismo."

A Farbflut afirma contribuir com instituições sociais e incentiva o jogador a "fazer sua parte".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.