Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Família de executivo coreano é sequestrada na saída de Cumbica

Criminosos se passaram por policiais e pediram para empresário encostar o carro; família acabou sendo liberada sem ferimentos

O Estado de S. Paulo

23 Julho 2015 | 18h59

Atualizado às 19h33

SÃO PAULO - A família de um executivo sul-coreano da Hyundai foi sequestrada na manhã desta quinta-feira, 23, na Rodovia Hélio Smidt, em Guarulhos, na Grande São Paulo.

O empresário, de 41 anos, havia ido buscar a mulher e dois filhos no Aeroporto de Cumbica e estava voltando para casa, em Campinas. Segundo o delegado Nico Gonçalves, diretor do Departamento de Capturas e Delegacias Especializadas de São Paulo (Decade), quatro homens em um carro preto pediram para que ele encostasse o carro, próximo ao acesso para a Rodovia Presidente Dutra.

Os suspeitos, com coletes que diziam "Polícia", pediram documentos e começaram a mexer nas cinco malas da família. O executivo percebeu que estava sendo enganado e entrou em luta corporal com dois suspeitos, enquanto os outros dois entraram no carro e arrancaram, com a família ainda dentro.

Como era "bom de briga", de acordo com Nico Gonçalves, o executivo "botou para correr" os dois homens com que brigou, que fugiram na falsa viatura, e acabou ficando sozinho na rodovia. Mesmo machucado, ele conseguiu pedir carona até uma delegacia na capital paulista. O delegado afirmou que os criminosos abandonaram o veículo e libertaram a família próximo ao Parque São Jorge, na zona leste da capital paulista. Três das cinco malas foram levadas. A polícia faz buscas para localizar os suspeitos.

A Hyundai Motor Brasil divulgou nota nesta quinta-feira explicando que o coreano é executivo da Hyundai Autoever Corp, empresa do Grupo Hyundai Motor que presta serviços de Tecnologia da Informação para a montadora e outras empresas coreanas. "Tanto o executivo como sua família estão bem e a Hyundai Motor Brasil acompanha o caso, fornecendo o apoio necessário", informou a empresa.

Mais conteúdo sobre:
Aeroporto de Cumbica sequestro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.