1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Ex-fazenda nazista é parcialmente demolida

José Maria Tomazela - O Estado de S. Paulo

14 Agosto 2012 | 22h 30

Governo registra boletim de ocorrência; intenção de destruir instalações no interior foi noticiada pelo ‘Estado’ em abril

SOROCABA - A Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo registrou boletim de ocorrência após constatar a destruição parcial da antiga Fazenda Cruzeiro do Sul, no município de Paranapanema, sudoeste do Estado de São Paulo. No local funcionou uma colônia nazista na década de 1930.

 

Os técnicos da Unidade de Preservação do Patrimônio Histórico constataram o fato no dia 9, durante uma vistoria. O conjunto da fazenda encontra-se em estudo de tombamento pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat) e não poderia ter sofrido nenhuma intervenção. Em abril deste ano, reportagem do Estado havia alertado para a intenção dos adquirentes da propriedade de demolir as instalações.

Após a publicação, o Condephaat notificou os proprietários sobre o processo de tombamento, mas a determinação para preservar o local não foi cumprida. Conforme relata o boletim de ocorrência, um antigo armazém foi totalmente destruído, enquanto um edifício identificado como curral teve a estrutura do telhado e as paredes demolidas.

Há indícios de que não foi uma destruição causada por chuva ou vento, mas provocada por ação humana. Ainda segundo o registro, os tijolos que exibem a inscrição da suástica nazista foram encontrados partidos ao meio, alguns deles alinhados em pilha, de modo organizado, enquanto outros, com inscrições diversas, estavam íntegros.

A Polícia Civil vai investigar quem fez ou autorizou a demolição. Os proprietários, que compraram a fazenda no início do ano para plantar cana, serão ouvidos. Eles não foram encontrados nesta terça-feira, 14, pela reportagem.

O caso também será encaminhado à Procuradoria Geral do Estado para providências judiciais. De acordo com pesquisadores, a fazenda foi palco de um esquema escravista nos anos 1930.

A fazenda foi comprada no início do século passado por Luis Rocha de Miranda, simpatizante do movimento fascista Ação Integralista Brasileira (AIB). A propriedade tinha geradores de energia elétrica, pista de pouso cimentada, uma estação de trens particular e silos aéreos importados dos Estados Unidos.

Orfanato. Simpatizantes de Adolf Hitler, que ascendeu ao poder na Alemanha em 1933, os donos da propriedade trouxeram 50 meninos de um orfanato carioca para viver e trabalhar na fazenda. Os garotos tiveram os nomes trocados por números e eram obrigados a participar de ritos nazistas, além de receber castigos físicos e trabalhar em troca de roupa e comida.

Em 1937, após a instalação do Estado Novo por Getúlio Vargas, as crianças foram libertadas e as marcas do nazismo no local terminaram apagadas. Nos anos 1960, a fazenda foi adquirida pelo alemão Amdt Von Bohlen und Halbach como local de férias para a família.

Os tijolos com a suástica só foram notados duas décadas depois, quando o ex-proprietário José Antonio Rosa Maciel descobriu o material quando demolia uma granja de porcos.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo