Estudante é agredido por seguranças em boate de Sorocaba

As agressões teriam sido motivadas por desentendimento sobre o pagamento da comanda

José Maria Tomazela,

25 Março 2013 | 12h33

O estudante de arquitetura Miguel Marcondes de Oliveira Neto, de 24 anos, foi agredido por pelo menos cinco seguranças de uma boate, neste domingo, em Sorocaba, a 92 km de São Paulo. Ele continuava internado na manhã desta segunda-feira no Hospital Modelo com fratura no nariz e deverá passar por novos exames. As agressões teriam sido motivadas por desentendimento sobre o pagamento da comanda. O estudante fez o pagamento com cartão, mas foi impedido por um segurança de deixar a casa. O rapaz voltou ao caixa do estabelecimento e foi orientado a apresentar o tíquete do cartão.

Impedido novamente de sair, o rapaz se negou a permanecer no local e passou pelo segurança, mas foi agarrado e recebeu uma ''gravata''. Com a pressão no pescoço, Oliveira Neto desmaiou. De acordo com colegas que o socorreram, com o estudante caído, outros seguranças passaram a agredi-lo com pontapés. Ele foi colocado num carro pelos amigos e levado ao hospital. O caso foi registrado como de lesões corporais dolosas no plantão da Polícia Civil. A polícia vai requisitar as imagens das câmeras instaladas na entrada da boate. Procurada, a direção da casa noturna Infinity Hall informou que está apurando internamente o ocorrido. Se comprovada a falha de conduta, os seguranças serão demitidos.

Mais conteúdo sobre:
agressão boate

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.