Estado de saúde de dentista piora e amigos pedem doação de sangue

Alexandre Gaddy, queimado na semana passada após tentativa de assalto em São José dos Campos, teve 'agravamento do estado geral', segundo boletim divulgado pelo Einstein

03 Junho 2013 | 18h42

O estado de saúde do dentista Alexandre Peçanha Gaddy, de 41 anos, que teve o corpo queimado após uma suposta tentativa de assalto em São José dos Campos piorou, segundo boletim médico divulgado na tarde desta segunda-feira, dia 3, pelo Hospital Albert Einstein.

Segundo a nota do hospital, o "paciente encontra-se em estado crítico, com agravamento do estado geral, devido a longa extensão de queimaduras sofridas (mais de 50% do corpo) e sendo a maioria dessas lesões de terceiro grau". Gaddy segue internado na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) do Einstein, no Morumbi, na zona sul de São Paulo.

Amigos do dentista estão pedindo, através do facebook, que as pessoas doem sangue à vítima. Na corrente criada na rede social, pedem que as pessoas compareçam ao banco de sangue do hospital e doem em nome de Gaddy. Não há especificação do tipo sanguíneo do dentista. "No momento ele está precisando muito de sangue e plaquetas, para auxiliar na recuperação", contam amigos no facebook.

O dentista foi queimado na noite do dia 27 de maio e encontrado consciente pelas equipes de socorro. Ele contou aos policiais que dois criminosos invadiram o seu consultório por volta das 21h. Segundo Gaddy, os bandidos atearam fogo contra seu corpo após ele pegar um celular do bolso. O aparelho foi encaminhado para perícia e as recentes conversas do dentista estão sendo rastreadas.

Segundo o delegado seccional de São José dos Campos, Leon Nascimento Ribeiro, foram ouvidos neste fim de semana a ex-mulher de Gaddy, amigos, familiares e vizinhos do dentista. "Ninguém viu uma movimentação estranha no consultório ou possíveis suspeitos. As investigações continuam, mas ainda não temos suspeitos nem sequer presos."

O hospital fica na avenida Albert Einstein, 627, Morumbi, zona sul da capital. O banco de sangue funciona das 8h às 21h durante a semana e aos sábados das 08h às 17h, no quarto andar do bloco A.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.