Rafael Arbex|Estadão
Rafael Arbex|Estadão

'Está muito mal contado', diz vizinha de menino morto por PMs

Para Sidinai Santos Batista, menino não estava armado

Luiz Fernando Toledo, O Estado de S.Paulo

04 Junho 2016 | 11h10

A vizinha e amiga da família do menino de 10 anos morto por policiais militares na última quinta-feira diz que a versão oficial da história - que diz que a criança e um colega de 11 anos atiraram contra os policiais depois de furtar um carro - está mal contada. 

"Se ele estivesse armado, renderia a mulher do prédio", diz Sidinai Santos Batista, que participa do velório do jovem no Cemitério São Luís neste sábado, 4, na zona sul da capital. "Foi uma covardia o que fizeram. Essa história está muito mal contada".

Ela disse ainda que o menino nunca teve acesso a armas. "Vi ele crescendo. Era uma criança normal, como todas as outras. Estudava, jogava futebol, ficava brincando. Não dá para entender essa situação". 

A mulher  avaliou que o fim trágico do menino aconteceu por causa das más influências. "A família lutou para esse menino não dar trabalho, mas infelizmente ele não quis. Andou com as pessoas erradas e acabou no que acabou. Ele estudava, estava na quarta serie. Engraxava sapatos no Aeroporto de Congonhas para levar uns trocados para casa", disse.

Mais conteúdo sobre:
Aeroporto de Congonhas Violência Crime

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.