'Epidemia' da droga ainda é controversa entre especialistas

Para o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, o Brasil está diante de uma epidemia de crack. Já a secretária nacional de Políticas sobre Drogas, Paulina Duarte, afirmou que seria uma "bobagem" reconhecer o crack como epidemia.

O Estado de S.Paulo

11 Dezembro 2011 | 03h02

Para o pesquisador Francisco Chagas, coordenador do mapeamento da Fundação Osvaldo Cruz, usar "epidemia" é tecnicamente equivocado. Segundo explica, comportamento epidêmico é uma metáfora que se relaciona a comportamentos contagiantes, como ocorre com os homicídios e seus ciclos de vingança. Já o consumo do crack, que destrói a saúde de quem o consome, assusta e, assim, afasta as pessoas da droga. /BRUNO PAES MANSO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.