1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Engenheiro argentino é morto no Morumbi após tentativa de assalto

Bárbara Ferreira Santos - O Estado de S. Paulo

30 Janeiro 2014 | 21h 48

Gonzalo Firvida, de 44 anos, estava no carro com a esposa e duas filhas quando foi surpreendido por dois assaltantes

SÃO PAULO - O engenheiro argentino Gonzalo Firvida, de 44 anos, foi morto após uma tentativa de assalto em uma rua do Morumbi, bairro nobre da zona sul da cidade, na segunda-feira, 27, por volta das 21h, quando estava acompanhado da esposa, María, das duas filhas, Josefina e Mora, e de uma amiga da filha.

Ele dirigia seu carro pela Rua Flávio Américo Maurano, na altura do número 300, quando foi surpreendido por dois assaltantes. Como o engenheiro tentou fugir do local, os criminosos efetuaram um disparo, que atravessou a porta e atingiu Firvida.

A mulher do engenheiro assumiu a condução do carro e levou o marido ao Hospital Albert Einsten, na zona sul. Ele foi socorrido, mas não resistiu e morreu.

No dia seguinte à morte do pai, Josefina publicou em seu perfil no Twitter uma mensagem de despedida em espanhol. "Estou chorando!! Atiraram no meu pai no carro e ele não acorda!! Eu vou chorar", escreveu.

A família publicou um anúncio fúnebre no jornal La Nación, em que a mulher e as filhas lamentam a morte de Firvida. "Sua mulher e duas filhas, Josefina e Mora, não nos despedimos, seguirá estando entre nós como sempre, presente e com um sorriso ou contando uma piada. Com o mesmo imenso amor que recebemos de você, te abraçamos para sempre "

Segundo policiais ouvidos pelo 'Estado', diplomatas do Consulado da Argentina no Brasil foram à delegacia obter informações sobre a morte do engenheiro. Um inquérito policial foi instaurado para apurar a tentativa de assalto seguida de morte. O caso foi registrado no 89º DP (Jardim Taboão).