1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Empresário que atropelou 10 na Vila Madalena responderá por embriaguez e lesão corporal culposa

Fábio Leite - O Estado de S. Paulo

24 Fevereiro 2014 | 14h 16

Sulivan Cândido de Oliveira, de 26 anos, foi detido em flagrante depois de avançar com sua Pajero sobre grupo

SÃO PAULO - O empresário Sulivan Cândido de Oliveira, de 26 anos, foi indiciado por lesão corporal culposa e embriaguez ao volante após o atropelamento de dez pessoas na noite de domingo, 23, na Vila Madalena, zona oeste de São Paulo. Nove vitimas sofreram escoriações leves e uma ficou em observação no Pronto Socorro do Hospital Edmundo Vasconcelos, na Vila Clementino, zona sul da capital.

Oliveira passou a noite no 14º DP (Pinheiros) e foi encaminhado pela manhã ao 91º DP (Ceagesp). Segundo a polícia, ele deve ser encaminhado ainda nesta segunda-feira, 24, para um Centro de Detenção Provisória (CDP) na capital porque  De acordo com o delegado Gilmar Contrera, do 14º DP, como as penas dos crimes pelos quais ele é acusado ultrapassam quatro anos, a fiança deve ser definida pela Justiça. A reportagem não conseguiu contato com o advogado dele.

O empresário estava com a mulher Luana de Souza Siqueira, de 29 anos, quando atropelou sete homens e três mulheres na Rua Fidalga, por volta das 19h de domingo. O grupo havia acabado de participar de blocos no carnaval de rua paulistano e estava concentrado no cruzamento com a Rua Aspicuelta, bloqueando a via.

Segundo testemunhas, Oliveira acelerou sua Pajero preta e tentou passar pela multidão. Após atingir as vítimas, ele e a mulher foram agredidos por grupo de foliões, que chegaram a atirar garrafas de cerveja. O veículo foi depredado. O casal foi levado ao pronto socorro da Lapa com ferimentos pelo corpo. Luana admitiu que ambos haviam ingerido bebida alcoólica, mas disse que o marido só atingiu os foliões para fugir das agressões que já vinha sofrendo. Segundo a polícia, o Instituto Médico Legal (IML) confirmou o estado de embriaguez.