Helvio Romero/Estadão
Helvio Romero/Estadão

Em queda há 17 dias, Cantareira está com 9,6% de sua capacidade

Procuradoria-Geral do Estado deve decidir nesta quarta-feira se aprova ou não a multa de 30% para os clientes da Sabesp que aumentarem o consumo de água na Grande São Paulo

Laura Maia de Castro, O Estado de S. Paulo

07 Maio 2014 | 09h25

 SÃO PAULO - O volume armazenado no sistema Cantareira caiu para 9,6% de sua capacidade e bateu um novo recorde negativo nesta quarta-feira, 7. Dados da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) mostram que, na mesma data de 2013, o nível do reservatório que abastece 47% da Grande São Paulo estava em 62%.

Há 17 dias consecutivos em queda, o nível de armazenamento do Cantareira era de 9,8% nesta terça-feira, 6. Foi a primeira vez na história que atingiu um patamar menor do que 10% de sua capacidade. A partir da próxima semana, a Sabesp pretende iniciar a captação do chamado "volume morto" - água represada abaixo do nível das comportas - do manancial nas represas Jaguari-Jacareí, em Joanópolis, a 100 quilômetros da capital.

Multa. A Procuradoria-Geral do Estado deve emitir nesta quarta-feira parecer favorável ou contrário à multa de 30% para os clientes da Sabesp que aumentarem o consumo de água na Grande São Paulo. A proposta feita pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) já recebeu aval da área técnica da Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp) e foi enviada na terça para o subprocurador Fábio Teixeira Rezende.

Se aprovada, a sobretaxa pode vir na conta de junho, ou seja, quem gastar mais água neste mês do que na média mensal de 2013 pagará multa. Entidades de defesa do consumidor dizem que a cobrança é inconstitucional e ameaçam ir à Justiça.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.