Em 1928, mulher foi 'despachada'

Em 1928, Giuseppe Pistone matou a mulher, Maria Fea, e despachou com nome e endereço falsos o corpo dela em uma mala para a França. O caso foi descoberto acidentalmente. No embarque, no Porto de Santos, a mala se abriu ao ser içada, acabando com o "plano perfeito" de Pistone.

O Estado de S.Paulo

20 Dezembro 2011 | 03h03

Ele assassinou Maria porque descobriu uma carta em que ela contava para a sogra a intenção do marido em achacar o primo, depois de fechar a sociedade em uma casa de salames e vinhos. Pistone chegou a negar que matou a mulher, depois tentou convencer a polícia de que foi um crime passional -Maria o teria traído. Ele foi condenado a 31 anos de prisão por homicídio e ocultação de cadáver. A mala está exposta no Museu do Crime, na capital.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.