Ecovias é acionada por assaltos na Anchieta

Ecovias é acionada por assaltos na Anchieta

Promotoria de Cubatão exige que concessionária tome providências para garantir segurança dos motoristas na estrada

Camilla Haddad, O Estadao de S.Paulo

06 Abril 2010 | 00h00

A Promotoria de Justiça de Cubatão, na Baixada Santista, enviou um ofício à Ecovias, responsável pelo Sistema Anchieta-Imigrantes, para que a concessionária tome providências em relação à segurança dos motoristas que viajam pela Anchieta no sentido Santos, no trecho de Cubatão.

O documento foi protocolado na semana passada, após a Polícia Militar Rodoviária informar aos promotores que, desde janeiro, foram registrados seis roubos na via, entre o km 55 e o 57 e do km 59 ao 61.

Segundo a PM, o número pode ser maior, pois parte das vítimas opta por não fazer boletim de ocorrência. Em igual período de 2009, foram registrados três ataques a motoristas. No fim do ano, o problema se agravou e 20 assaltos foram contabilizados até dezembro. Criminosos aproveitam a lentidão no trânsito, a existência de lombadas e de carros no acostamento para fazer a abordagem. Há casos em que os ladrões atiram pedras na pista.

Vistoria. O promotor Rodrigo Calil disse que, em 20 de fevereiro, convocou uma reunião com diversos representantes das Polícias Civil e Militar. Inicialmente, o objetivo era discutir a criminalidade em geral. "Mas a Polícia Rodoviária nos apresentou esse problema (na Anchieta) e estamos tentando resolver da melhor maneira possível", afirma. Segundo o promotor, houve relato de um assalto a um ônibus fretado que seguia para Santos.

A PM afirma que a Ecovias já havia sido avisada. A corporação diz que pediu a instalação de equipamentos de segurança, como novas câmeras e grades para evitar o acesso de pedestres à rodovia. Também seria estudada uma forma de iluminar o local, já que os assaltos ocorrem após as 18 horas.

Lombadas. A Ecovias afirma que as lombadas foram implantadas entre o km 59 e km 63 da Anchieta por uma questão de segurança viária, atendendo a pedidos das prefeituras de Santos e Cubatão. Após a medida, o número de mortes em acidentes caiu neste trecho, passando de seis em 2008 para uma no ano passado. A empresa diz que não tem "poder de polícia" para coibir assaltos. Segundo a concessionária, a iluminação cabe às prefeituras. Uma equipe da concessionária vai vistoriar o local para estudar medidas de segurança.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.