E-mail revela críticas de Soninha

E-mail revela críticas de Soninha

Um e-mail enviado no dia 24 de fevereiro ao secretário municipal de Coordenação das Subprefeituras, Ronaldo Camargo, pela ex-subprefeita da Lapa Soninha Francine revela a falta de infraestrutura que a pré-candidata ao governo pelo PPS enfrentou por 15 meses. A subprefeitura é responsável, por exemplo, pela limpeza das bocas de lobo, considerada fundamental no combate às enchentes da Pompeia.

, O Estadao de S.Paulo

01 Abril 2010 | 00h00

Na carta, tornada pública ontem na CPI das Enchentes, Soninha diz que "a média de equipes contratadas nos últimos dois anos é, em quase todos os casos, inferior ao necessário".

"Do fundo da alma, eu tenho o impulso insano de dizer "vocês estão de brincadeira". Mas, mantendo o que me resta de compostura, eu imploro por um pouco de compreensão da rotina da subprefeitura, das condições que temos enfrentado nos últimos 14 meses e do "cacete" que temos tomado por incapacidade de prestar os mínimos serviços de zeladoria", reclama a subprefeita, queixando-se da morosidade na contratação de serviços.

Procurada no fim da tarde de ontem, momentos antes de ir à subprefeitura pela última vez, Soninha confirmou as críticas e revelou que a região (Lapa, Pompeia e Perdizes) conta hoje com duas equipes para o corte de grama e três para poda de árvores.

"Minha crítica é ao decreto do Executivo (de janeiro de 2010) que condiciona toda contratação à comprovação de gastos, ao preenchimento de mil relatórios e mil planilhas", disse Soninha. Ela não vê motivos para seu e-mail ser discutido na CPI.

Camargo confirmou ter recebido o e-mail. "É algo comum. Também costumo cobrar o Executivo pela liberação de mais verbas", disse. Sobre a falta de projetos antienchente na área e a morosidade nos serviços de limpeza de bocas de lobo, o secretário argumentou que houve uma "revisão" das obras para a área. / D.Z.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.