Amanda Perobelli/Estadão
Amanda Perobelli/Estadão

Doutores da Alegria põem hospitais no ritmo de carnaval

Riso Frouxo ganha a atenção dos pequenos pacientes em São Paulo e, a exemplo do Recife, organização já pensa em botar o ‘broco’ na rua

Amanda Perobelli e Edison Veiga, O Estado de S. Paulo

22 Fevereiro 2017 | 03h00

"Você pensa que soro é água/ Soro não é água não/ Soro vem da enfermeira/ E água vem do ribeirão". É nesta toada que o ziriguidum dos animados Doutores da Alegria tem contagiado crianças em hospitais de São Paulo. A trupe dos palhaços da saúde lançou neste ano o Broco (e não Bloco) do Riso Frouxo, com um calendário de visitas que vai até o fim de março.

Na manhã desta terça-feira, 21, no Hospital Santa Marcelina, em Itaquera, o pequeno Jackson, de 9 anos, era um dos mais empolgados foliões a seguir o cordão pelos corredores da instituição. Do quarto até a brinquedoteca, o menino era uma alegria só para quem estava há 11 dias internado por conta de uma pneumonia. "Ele ama essas coisas. Foi atrás dos músicos e ficou todo feliz. É bom porque dá uma melhorada até no tratamento", avalia sua mãe, a dona de casa Maria Sebastiana da Silva, de 26 anos.

Os médicos concordam. "Quando a criança fica mais animada, mais bem-humorada, ela colabora mais com o tratamento. E isso ajuda na sua própria recuperação, é algo comprovado", afirma o pediatra Guilherme Trudes de Oliveira, do Santa Marcelina. "O hospital é, por natureza, um ambiente tenso e complicado. As ações dos Doutores da Alegria trazem uma leveza e uma descontração. Todo mundo brinca com todo mundo." Oliveira ressalta que não são só as crianças que ganham com a trupe: os médicos e enfermeiros também acabam ficando mais felizes. Prova disso é que o próprio doutor mostrou ser bom no ziriguidum e dançou junto com os foliões. 

Com apenas 2 anos de idade - e há um ano lutando contra um tumor no rim -, Gabriel também aprovou o barulho carnavalesco do hospital. "Ele gosta de música, adora um instrumento de percussão", disse a sua mãe, a cozinheira Silvia Leticia Pereira Alves, de 38 anos. "Eu também achei muito legal, divertido. Quebrou um pouco aquela rigidez de hospital, não é?"

A versão paulistana do bloco carnavalesco dos Doutores da Alegria foi criada neste ano, mas copia o que já acontece em Recife. "Lá, há dez anos os Doutores têm um grupo chamado Bloco do Miolinho Mole", conta o diretor artístico da organização, Ronaldo Aguiar. "Foi uma maneira que encontramos de nos aproximar da cultura local. Como aqui em São Paulo o carnaval de rua tem crescido, decidimos seguir o mesmo caminho."

Nos planos do grupo está sair às ruas no carnaval de 2018. "Em Recife começamos no hospital e hoje também estamos no centro histórico. Vislumbramos movimento parecido aqui em São Paulo", adianta. 

Aguiar diz que o objetivo do Broco do Riso Frouxo é "subverter um pouco a realidade hospitalar". "Tratamos tudo com humor, para que aqueles que trabalham naquele universo também entrem nesse clima", explica. "Dentro dessa lógica, o carnaval é perfeito: trata-se de um evento que remete à memória, à alegria. No carnaval, todos colocam desejos e fantasias para fora, entram em um universo lúdico."

Um concurso de marchinhas foi realizado entre os integrantes do grupo para eleger as músicas que seriam tocadas. Além da citada no início deste texto, paródia de um clássico carnavalesco, ganharam outras duas - que não são releituras, mas sim músicas novas. Uma diz: "A gente dança errado/ A gente se atrapalha/ Nós tarda/ Mas não falha". E a outra: "O cachorro late/ O gato mia/ Este é o bloco/ Dos Doutores da Alegria". 

No meio do percurso pelos corredores do hospital, cerca de 1h30, as musiquinhas são entoadas repetidamente e alternam-se com alguns esquetes engraçados característicos do grupo.

Doutores. Fundado em 1991, o grupo Doutores da Alegria foi criado em 1991. Sem fins lucrativos, a trupe é uma organização da sociedade civil que se baseia na arte do palhaço para dar alegria a crianças e adolescentes em hospitais públicos - e outros ambientes adversos. A associação calcula já ter realizado mais de 1 milhão de visitas a crianças hospitalizadas em todo o País. 

ROTEIRO DOS HOSPITAIS COM CARNAVAL DOS DOUTORES DA ALEGRIA

20/2 - Instituto de Tratamento do Câncer Infantil (Itaci)

Rua Galeno de Almeida, 148 - Pinheiros, São Paulo

21/2 - Hospital Santa Marcelina

R. Santa Marcelina, 177 - Itaquera, São Paulo

2/3 - Hospital Universitário

Av. Prof. Lineu Prestes, 2565 - Butantã, São Paulo

6/3 e 20/3 - Instituto da Criança (ICr)

Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 647 - Jardim Paulista, São Paulo

7/3 - Hospital do Mandaqui

R. Voluntários da Pátria, 4301 - Mandaqui, São Paulo.

13/3 - Hospital M'boi Mirim

Estrada do M'Boi Mirim, 5203 - Jardim Angela, São Paulo.

14/3 - Hospital Municipal do Campo Limpo

Estr. de Itapecerica, 1661 - Campo Limpo, São Paulo.

21/3 - Hospital Geral do Grajaú

R. Francisco Octávio Pacca, 180 - Pq. Nações Unidas, São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.