Marcio Fernandes / Estadão
Marcio Fernandes / Estadão

Doria diz ter 'confiança absoluta' de que decisão sobre marginais será revertida

Na sexta-feira, a Justiça acolheu pedido de liminar feito em ação movida pela Ciclocidade, que argumentava que o aumento da velocidade traria risco a ciclistas e pedestres; o prefeito disse que entrará com recurso na segunda-feira

Alexandre Hisayasu, O Estado de S. Paulo

21 Janeiro 2017 | 11h23
Atualizado 21 Janeiro 2017 | 15h59

O prefeito João Doria (PSDB) anunciou neste sábado (21) que irá recorrer da decisão da Justiça que proibiu o aumento da velocidade nas marginais. Ele afirmou que a prefeitura entrará com recurso nesta segunda-feira (23).

"Há confiança absoluta de que vamos reverter essa decisão liminar. Pois a confiança que temos nos estudos técnicos preparados pela equipe da CET  (Companhia de Engenharia de Tráfego), sob o comando do Sergio Avelleda (secretário de Transportes), (é que eles) serão absolutamente suficientes para convencer os juízes", disse. Doria também afirmou que a campanha sobre o aumento das velocidades nas marginais com a participação do ex-piloto Emerson Fittipaldi está suspensa até nova decisão judicial. 

O juiz Luis Manoel Fonseca Pires, da 4.ª Vara da Fazenda Pública, acolheu na sexta-feira (20) pedido de liminar feito em ação movida pela Associação de Ciclistas Urbanos da Cidade de São Paulo (Ciclocidade), que argumentava que o aumento das velocidades traria risco ao trânsito, especialmente para ciclistas e pedestres. Os novos limites, uma das principais promessas de campanha do tucano, entrariam em vigor a partir da próxima quarta-feira, 25, dia do aniversário da cidade.

Doria anunciou ainda que a prefeitura conseguiu 5.500 empregos para pessoas em situação de rua, sendo que 5 mil vagas são para o setor de conservação e limpeza. "Quinhentos empregos já começam a ser praticados esta semana", disse. Segundo ele, o objetivo é conseguir 20 mil empregos para moradores de rua. O critério para seleção "é  ter vontade de trabalhar" .

Pela manhã, o prefeito deu continuidade ao Programa Cidade Linda. Ele esteve na Avenida Santo Amaro, na região do Brooklin,  na zona sul, onde pintou parte de um ponto de ônibus, tirou o tapume de um canteiro e posou para fotos. O vice-prefeito Bruno Covas, alguns secretários municipais e vereadores, também estiveram no local. 

Ibirapuera. À tarde, Doria foi até o Parque do Ibirapuera para anunciar que empresas privada farão a reforma e a manutenção dos 16 banheiros do parque.

Ele afirmou que a construtora Cyrela vai cuidar das reformas, previstas para serem concluídas em quatro meses. A Unilever vai fornecer material de higiene para os banheiros durante um ano. "A previsão é que um banheiro seja entregue a cada 20 dias. Eu fiquei sensibilizado com um post que recebi da advogada Janaina Paschoal mostrando essa situação. Decidimos agir rápido e, pela falta de recursos, pedir apoio da iniciativa privada", disse.

Segundo Doria, as empresas se sensibilizaram e farão o trabalho sem cobrar nada da prefeitura. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.