Dia do beija-mão

Zero à esquerda

TUTTY HUMOR, O Estado de S.Paulo

19 Março 2013 | 02h03

Brizola Neto não fez absolutamente nada para perder o cargo de ministro do Trabalho. Vai ver foi trocado justo por isso, né?

Anvisa lá!

A Agência de Vigilância Sanitária levou três dias para proibir a comercialização dos chamados "sucos de soja cáustica", como ficaram conhecidos, desde a semana passada nos supermercados, os produtos à base de soja da marca Ades, contaminados com soda cáustica.

Vale o sacrifício

Aécio Neves está fazendo o que pode para impedir a saída de José Serra do PSDB. Já avisou ao partido que, se preciso, volta até a frequentar o Leblon para não perder o companheiro!

Morto-vivo

Diante das dificuldades para embalsamar o corpo de Hugo Chávez, o presidente interino da Venezuela, Nicolás Maduro, mandou apurar no Brasil qual a técnica de conservação do Sarney no governo.

Desumano

Será que o caso do estudante que jogou o braço do ciclista no córrego prejudicou o Brasil no ranking de Desenvolvimento Humano? Ao pé da letra do índice da ONU, só por isso o País cairia umas 10 posições!

Páreo duro

Valdívia ou Pato, quem vai se machucar mais em 2013? Por enquanto, está empate!

Mostra sua cara

Os motoboys de São Paulo estão confusos! Afinal de contas, a lei sancionada na semana passada pelo governador Geraldo Alckmin obriga a categoria a tirar o capacete até para tomar banho ou, neste caso específico, mostrar a cara fica a critério do piloto?

Seja lá qual foi a graça divina que Cristina Kirchner encomendou para a Argentina no encontro de ontem com o papa Francisco, dificilmente a presidente será atendida se pediu a bênção de Sua Santidade para fechar o Clarín, retomar a soberania das Ilhas Malvinas ou ressuscitar o Néstor.

Ainda que o papa tivesse tais poderes, não haveria milagre que chegue para atender às expectativas de tantos chefes de Estado encalacrados de passagem hoje pelo Vaticano para o beija-mão de entronização na Praça São Pedro.

A chanceler Angela Merkel deve estar sabendo que, se nem um papa alemão a ajudou a tirar o euro da crise, não será agora um argentino que lhe concederá o dom de alcançar a salvação econômica praquela zona.

Melhor assim! Se pudesse livrar o vice-presidente Joe Biden de penitência por todas as gafes que comete nos EUA, o pontífice talvez não tivesse como negar perdão a outro de seus convidados, o presidente Robert Mugabe, pelas desgraças que impõe ao Zimbábue.

Na dúvida sobre suas chances de ser atendida, Dilma Rousseff só vai decidir na hora se transmite o recado do Rio - sede da Jornada Mundial da Juventude - ao papa: "Veta, Francisco!"

Mal comparando

Tem pichação nova nos muros da Igreja Universal:

"O Bispo Macedo,

pelo menos,

não é argentino!"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.