Hélvio Romero/ Estadão
Hélvio Romero/ Estadão

Delegado da Polícia Federal é morto durante assalto no Morumbi

Policial chegou a ser socorrido e morreu no hospital; dois homens foram detidos após a tentativa de roubo frustrada e um deles foi beneficiado pela saída temporária de Dia das Mães

Isabela Palhares, Paulo Roberto Netto e Renata Okumura, O Estado de S.Paulo

14 Maio 2018 | 08h07
Atualizado 14 Maio 2018 | 15h58

SÃO PAULO - O delegado da Polícia Federal Mauro Sérgio Salles Abdo foi baleado dentro da própria residência no Morumbi, bairro nobre da zona sul de São Paulo, nas proximidades do Palácio dos Bandeirantes, na manhã desta segunda-feira, 14. Abdo foi socorrido e morreu no hospital. Dois homens foram detidos, um deles foi atingido durante a troca de tiros. O criminoso baleado havia recebido o benefício da saída temporária para o Dia das Mães na última sexta-feira, 11.

Segundo o major da Polícia Militar Marcelo Tasso, os dois bandidos relataram ter entrado no fim da tarde de domingo em uma mansão abandonada ao lado da casa do delegado. Eles pretendiam fazer um furto na residência, mas não encontraram nada de interesse. Por isso, decidiram pelo roubo a outro imóvel na manhã desta segunda-feira.

Por volta de 7h, eles pularam o muro entre as duas casas e encontraram o delegado na cozinha, onde tomava café da manhã. Ele estava em casa com a mulher e a filha, de 16 anos. O delegado reagiu, atirando contra os bandidos. Ele atingiu um deles na perna e antebraço. Os bandidos revidaram e atingiram três tiros no policial. Ao menos um deles no peito.

+ Mãe PM reage a assalto na porta de escola e ladrão morre​

+ Casas à venda no Morumbi são invadidas e provocam insegurança

Em seguida, os bandidos fugiram separados. O que foi baleado voltou para a casa abandonada, onde passou a noite. O outro fugiu para casas vizinhas, pulando os muros. Segundo Tasso, ele entrou em pelo menos cinco residências antes de ser preso. O criminoso baleado havia recebido o benefício da saída temporária de Dia das Mães. O outro tinha passagens pela polícia por roubo e furto e deixou a prisão em 2011. Os dois são de Taboão da Serra.

Um dos vizinhos da casa assaltada, o sr Antônio Carlos de Barros deixou um bilhete para os bandidos informando sobre as câmeras de segurança e que a residência dele estava vazia.

+ PM que impediu assalto a escola infantil e matou ladrão é homenageada por governador no Dia das Mães

"O Morumbi tem muitas mansões abandonadas, por diversos motivos, o que atrai pessoas mal intencionadas de fora, como é o caso desses dois", disse o Major.

O policial foi levado em estado grave para o Hospital Israelita Albert Einstein, no Morumbi, onde acabou morrendo. Em nota, a Polícia Federal de São Paulo lamenta e se diz consternada com a morte de Mauro Sérgio Salles Abdo.

+ Policial de folga mata suspeito durante assalto a farmácia no Guarujá 

“Com mais de 32 anos de atuação na PF, o delegado se encontrava atualmente lotado na delegacia de Repressão e Combate aos Crimes Previdenciários. A Polícia Federal em São Paulo manifesta seu pesar aos familiares, amigos e policiais federais e reafirma que continuará envidando todos esforços para contribuir com a solução deste crime, lutando diariamente pela construção de uma sociedade cada vez mais segura”, destacou a nota.

O Sindicato dos Delegados de Polícia Federal do Estado de São Paulo (SindpfSP) divulgou um comunicado no qual diz que a "diretoria está acompanhando o caso para que os criminosos sejam responsabilizados e encarcerados". "Em todo o País, cotidianamente, não bastassem os elevados índices de violência, policiais são abatidos por criminosos", diz a nota, acrescentando que aguarda que "medidas efetivas para garantir o direito constitucional à segurança pública sejam adotadas".

O suspeito baleado foi encaminhado ao Pronto-Socorro Bandeirantes e está estável. Assim que receber alta, será levado para o Departamento Estadual de Investigações Criminais. A ocorrência foi registrada na 1ª Delegacia de Polícia de Investigações sobre Roubos e Latrocínios.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.