Sergio Castro/Estadão
Sergio Castro/Estadão

Defesa protocola pedido de habeas corpus para Roger Abdelmassih

Ex-médico perdeu o direito à prisão domiciliar na sexta-feira, 11; ele cumpre pena de 181 anos de prisão pelo estupro de 37 mulheres

O Estado de S.Paulo

13 Agosto 2017 | 12h38

SÃO PAULO -  Foi protocolado na manhã deste domingo, 13, um pedido de habeas corpus para o ex-médico Roger Abdelmassih, de 73 anos, condenado a 181 anos de prisão pelo estupro de 37 mulheres. A expectativa da defesa é que a decisão saia ainda neste domingo, 13, embora o plantão judiciário do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) ocorra até as 13 horas.

Segundo o advogado do ex-médico, Antonio Celso Galdino Fraga, se o TJ-SP não conceder o habeas corpus, a defesa irá recorrer da decisão no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Na sexta-feira, 11, Abdelmassih perdeu o direito à prisão domiciliar, de acordo com decisão da juíza Sueli Zeraik Armani, da 1ª Vara de Execuções Criminais, de Taubaté (SP), devido à falta de tornozeleiras eletrônicas no Estado de São Paulo. O contrato com a empresa que fornecia o equipamento foi rompido na quarta-feira, 9, pelo governo do Estado.

Desde segunda-feira, o ex-médico está internado no Hospital Albert Einstein, na zona oeste de São Paulo, para tratar uma infecção bacteriana identificada no sistema urinário. Segundo a defesa, a permanência do ex-médico no hospital é "imprescindível".

 

Mais conteúdo sobre:
Roger Abdelmassih Estupro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.