1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Debate: Trajeto do ato pode ser determinado pelas autoridades?

- Atualizado: 14 Janeiro 2016 | 03h 00

Leia abaixo o posicionamento de especialistas sobre o assunto

Sim. Toda manifestação tem de ser pré-ajustada com o poder público para que a segurança, tanto de quem participa como de quem não faz parte do protesto, seja garantida. Se os manifestantes não informam previamente local, motivo e trajeto, a polícia pode e deve fazer essa determinação. Anteontem, o Passe Livre deveria ter passado essas informações previamente para que a PM e os agentes de trânsito preparassem o caminho. A PM agiu corretamente ao fazer o isolamento e determinar o trajeto para impedir que o ato prejudicasse o direito dos demais. O direito de reunião existe e é assegurado pela Constituição, mas não é infinito.

MAURÍCIO JANUZZI É PRESIDENTE DA COMISSÃO DE SISTEMA VIÁRIO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL (OAB-SP)

-------

Não. A polícia não pode fazer essa determinação. Nenhuma manifestação precisa informar previamente o trajeto que será feito, não é uma obrigação. A Constituição Federal determina apenas que seja feita a comunicação do evento, mas não diz que o trajeto precisa ser informado. Além disso, o protesto não precisa de autorização prévia. Ficou muito claro na manifestação de anteontem que a polícia simplesmente impediu que o protesto acontecesse. O que aconteceu não só é ilegal, como também é inconstitucional. Esperávamos que a PM aprendesse com os erros dos atos de 2013 e que reformasse seus procedimentos para ser menos abusiva, mas, ao contrário, passou a adotar um procedimento ainda mais violador de direitos.

RAFAEL CUSTÓDIO É COORDENADOR DO PROGRAMA DE JUSTIÇA DA CONECTAS DIREITOS HUMANOS

MPL faz novo ato contra aumento da tarifa
NILTON FUKUDA/ESTADÃO
Protesto do MPL

Manifestantes se concentraram na Praça do Ciclista para o segundo ato contra o aumento da tarifa em São Paulo 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em São PauloX