Criminosos tentam sequestrar gerente de banco e baleiam guarda

Agente desconfiou de movimentação em frente a uma casa e, ao se aproximar, foi atacado com tiros de fuzil; uma bala atingiu seu braço

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

30 Abril 2015 | 10h26

SOROCABA - Um guarda municipal foi ferido com um tiro de fuzil durante abordagem a criminosos que tentavam sequestrar a gerente de um banco, na noite desta quarta-feira, 29, em Cerquilho, região de Sorocaba, no interior de São Paulo. O bando chegou em dois carros e rendeu o pai da gerente em frente à casa da família.

Uma equipe da Guarda Municipal passava pela rua em uma viatura e desconfiou da movimentação.

Ao se aproximarem, os guardas foram recebidos com uma saraivada de tiros. Pelo menos dez disparos atingiram a viatura, três deles o para-brisa. Uma das balas atingiu o braço de um guarda. Os agentes pediram apoio à Polícia Militar.

Os bandidos abandonaram o refém e fugiram. Na perseguição, houve troca de tiros e um dos carros usados pelos criminosos capotou, mas eles roubaram outro veículo e seguiram em fuga.

Até a manhã desta quinta-feira, 30, ninguém tinha sido preso. Os carros usados pelo bando foram abandonados em Sorocaba. O guarda ferido foi medicado e passa bem.

A polícia acredita que o bando sequestraria a família da gerente para obrigá-la a retirar dinheiro do cofre da agência.

O sequestro de gerentes voltou a ser praticado após os bancos deixarem os caixas automáticos sem dinheiro durante a noite para evitar ataques com explosivos. No último dia 22, a gerente de uma agência foi sequestrada em Itapetininga, cidade da região. O mesmo crime havia sido praticado duas semanas antes em Boituva.

Mais conteúdo sobre:
Violência São Paulo Cerquilho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.