Criminosos com armamento pesado atiram em carro na Avenida Sumaré

Veículo de empresa privada que transportava dinheiro foi fechado por outro carro e alvejado por tiros de fuzil

Mônica Reolom, O Estado de S. Paulo

09 Abril 2014 | 17h47

Atualizada às 22h07

SÃO PAULO - O carro de uma empresa de câmbio foi alvejado por tiros de fuzil na tarde desta quarta-feira, 9, na Avenida Sumaré, altura da Rua Apiacás, na zona oeste de São Paulo. O veículo, um Toyota Corolla blindado, transportava 20 mil euros e US$ 40 mil, segundo a Secretaria de Segurança Pública. Todo o dinheiro foi levado pelos ladrões.

Por volta das 12h, o Corolla foi fechado por um Honda Fit e duas motos em um semáforo da Avenida Sumaré. Dois bandidos desceram do carro armados com fuzis e atiraram na direção do radiador do veículo, com a intenção de imobilizá-lo na via. Eles então sinalizaram para que o motorista e o carona abrissem as portas do Corolla e os renderam - um é funcionário da empresa e tem 48 anos e o outro é gerente e tem 34. Em seguida, pegaram todo o dinheiro e fugiram com as motos. Ninguém ficou ferido e, até as 20h de ontem, ninguém havia sido preso.

Informações privilegiadas. O delegado titular do 23.° Distrito Policial (Perdizes), Marco Aurélio Batista, afirmou que pelo menos quatro bandidos participaram do roubo. "Mas acreditamos que tenha mais gente envolvida", ressaltou o delegado, que está conduzindo a investigação.

Batista também afirmou que o armamento pesado usado pelos bandidos foi identificado "pela descrição que testemunhas fizeram e pelas cápsulas encontradas no local".

O nome da casa de câmbio foi mantida em sigilo pela polícia. O Honda Fit abandonado no local pelos criminosos era roubado, de acordo com o delegado.

Segundo o delegado, os criminosos tinham informações detalhadas do trajeto do veículo e podem ter recebido informações de funcionários da empresa. "Precisamos levantar agora se eles tinham informação privilegiada, já que sabiam o caminho que o carro estava fazendo e que ele transportava uma quantia alta de dinheiro. Estamos tentando seguir essa linha de raciocínio", explicou.

O carro da empresa foi rendido em trânsito, e não em seu destino final.

Bloqueio. Duas faixas da Avenida Sumaré, na altura da Rua João Ramalho, no sentido bairro, ficaram bloqueadas por cerca de duas horas após a ocorrência. A interdição durou de 12h42 às 15h34, de acordo com a Companhia de Engenharia do Tráfego (CET).

O trânsito ficou lento no local e vários motoristas reclamaram nas redes sociais. Alguns aconselhavam as pessoas a evitar a região e outros relatavam a presença de carros de polícia no local, mas sem saber o que estava acontecendo.

A Polícia Militar foi chamada para atender à ocorrência por volta das 13 horas.

Mais conteúdo sobre:
Avenida Sumaré fuzil crime SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.