1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Cratera entre Americana e Santa Bárbara D’Oeste aumentou com a estiagem

Letícia Guimarães dos Santos - Especial para O Estado - O Estado de S. Paulo

23 Agosto 2014 | 10h 52

Ausência de umidade no solo deixou maiores as rachaduras na terra

CAMPINAS - Uma cratera que fica entre as cidades de Santa Bárbara D’Oeste e Americana, surgida em 2007 devido ao escoamento de águas pluviais sem tratamento no local, está aumentando devido a estiagem.  A falha no solo, semelhante a um canyon, fica na Estrada da Balsa e mede cerca de um quilômetro de extensão e tem por volta de 30 metros de profundidade.

A falta de chuvas moderadas para umedecer o solo e a seca do lençol freático que passa por baixo da área estão deixando maiores as fissuras no local, fragilizando a terra.

Na última sexta-feira, técnicos do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) estiveram no local para fazer um monitoramento e constataram que desde junho a área foi erodida em mais um metro, quando era esperado que o aumento no buraco fosse de dez centímetros.

Desde o surgimento da falha no solo o Grupo de Atuação Especial do Meio Ambiente (Gaema) do Ministério Público Estadual (MPE) de Piracicaba, começou a investigar o caso, e na semana passada uma decisão da Justiça obriga que as duas cidades realizem obras para reparar os danos, uma confirmação da condenação emitida anos atrás.

 As Prefeituras de Americana e Santa Bárbara D’Oeste terão de recuperar a área que foi degradada e realizar obras de infraestrutura para que não haja mais o escoamento de água pluvial no local.