Contra vandalismo, SP apela a bueiro de plástico

Prefeitura começa a trocar grelhas de aço por peças recicladas; a vantagem é que as novas não têm valor comercial e são mais leves e duráveis

Cristiane Bomfim, O Estado de S.Paulo

22 Abril 2010 | 00h00

JORNAL DA TARDE

Para reduzir a ocorrência de furtos dos bueiros de aço das sarjetas de São Paulo, a Prefeitura vai substituí-los por peças de plástico reciclado. A Secretaria da Coordenação das Subprefeituras estima economizar R$ 1 milhão por ano, só com a reposição de 4 mil peças. A mudança será implementada aos poucos.

Os testes laboratoriais começaram há um ano e a primeira subprefeitura a instalar o novo bueiro, também chamado de grelha, foi a da Penha, na zona leste, há seis meses. Atualmente, outras 11 subprefeituras testam o item, como Sé e Casa Verde.

"Ela tem a mesma resistência da grelha de aço. A vantagem é que não tem valor comercial e é mais leve e tem maior durabilidade", diz Domingos Miranda, coordenador da Área de Drenagens. O plástico reciclado virá de cooperativas.

As grelhas são usadas para impedir que objetos caiam nas galerias e ramais e prejudiquem o sistema de drenagem. A substituição também tornará a manutenção e limpeza mais rápida.

Grande quantidade. A Subprefeitura de Aricanduva deverá ser a primeira a instalar o material em quantidade maior. Foram compradas 30 unidades. "Não vamos trocar tudo de uma vez. A ideia é fazer a substituição sempre que for furtada ou estiver em más condições", diz Miranda.

A estimativa é de que em até dois meses seja feito um pregão para levantamento de preços, para a compra, neste ano, de 300 grelhas de plástico.

Boa iniciativa. Para o arquiteto e urbanista Cândido Malta, a substituição paulatina das grades é uma boa opção. "Seria um desperdício de dinheiro público substituir todas as grelhas de uma vez", avalia. Malta afirma que a opção pelo material reciclado pode ser considerada "um exemplo". O projeto piloto também será estendido para as avenidas Zaki Narchi, na zona norte, e Barreira Grande, na zona leste da capital.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.