Congonhas usa instrumentos para pousos, mas não há atrasos

Pista principal e auxiliar do aeroporto estão abertas para pousos e decolagens nesta segunda-feira

Paulo R. Zulino, do estadao.com.br,

13 Agosto 2007 | 08h17

O Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, operava com a ajuda de instrumentos para pousos na manhã desta segunda-feira, 13. De acordo com informações da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), tanto a pista principal quanto a pista auxiliar estavam abertas. Até às 7 horas, dos 22 vôos previstos, não havia registros de atrasos superiores a uma hora e três foram cancelados.   No Aeroporto Internacional de São Paulo (Cumbica), em Guarulhos, pousos e decolagens eram feitos normalmente, sem o auxílio de instrumentos. Segundo a Infraero, o aeroporto não fechou nenhuma vez por conta do mau tempo e até às 7 horas, dos 36 vôos programados, não houve atrasos maiores do que uma hora e nenhum vôo foi cancelado.   No Rio de Janeiro, os aeroportos Santos Dumont e Tom operavam com o auxílio de aparelhos por conta da neblina. No Santos Dumont, seis vôos, entre partidas e aterrissagens, tiveram atrasos até às 8h30. Outros quatro foram cancelados. No Tom Jobim Galeão, foram registrados um cancelamento e um vôo atrasado.   Domingo   No domingo, o dia nos aeroportos do País foi tranqüilo. De manhã, em Congonhas, um forte nevoeiro fez com que o aeroporto operasse por instrumentos até as 10h45. Segundo a Infraero, das 6 às 18 horas, das 155 decolagens programadas, 47 foram canceladas, o equivalente a 30%, e 2,6%, quatro, tiveram atrasos de mais de uma hora.   No Aeroporto de Recife, na noite de sábado, um Airbus A319 da TAM com destino a Fortaleza teve de fazer manutenção não programada. Os passageiros estavam no avião, quando perceberam um forte cheiro de combustível na cabine. O avião foi levado para a manutenção, e os passageiros, acomodados em um hotel.   Texto alterado às 9h46 para acréscimo de informações.

Mais conteúdo sobre:
crise aérea aeroportos de SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.