Congestionamento em São Paulo bate recorde no ano: 282 km

Em duas horas de chuva, 22 semáforos apagaram e ajudaram a piorar o trânsito, que travou as principais vias da capital

Rodrigo Burgarelli, O Estado de S.Paulo

13 Junho 2013 | 02h02

Quem saiu para jantar na noite de ontem, na comemoração do Dia dos Namorados, sofreu com o trânsito em São Paulo. A capital paulista bateu o recorde de congestionamento do ano, com 282 km de lentidão registrados pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

As filas começaram para valer por volta das 16h30, quando a lentidão já ultrapassava a média do horário para a cidade. Cerca de uma hora antes, havia começado a chover em parte da cidade, principalmente nas zonas oeste e sul. A chuva não chegou a formar pontos de alagamento, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE). Mas, nas duas horas em que caiu, ajudou a fazer com que pelo menos 22 semáforos da capital parassem de funcionar, segundo a CET.

O resultado foi um caos que se espalhou pelas principais vias da capital. O recorde de congestionamento foi registrado às 19h40. Daí em diante, o índice de trânsito começou a cair, mas, às 20h - último horário de medição da companhia municipal -, ainda estava pelo menos três vezes maior do que a média para o horário. O maior congestionamento em São Paulo deste ano havia sido registrado em 8 março - 261 km.

A Marginal do Tietê, no sentido Castelo Branco, chegou a registrar 18,2 km de lentidão. Quase toda sua extensão, de 22 km, estava parada, desde o Cebolão até a Ponte do Tatuapé. O congestionamento foi tanto que chegou a afetar a Rodovia Castelo Branco, na altura de Barueri.

Na zona sul, um acidente entre um ônibus e um caminhão aumentou ainda mais a lentidão na Avenida Washington Luís. Outros corredores, como a Marginal do Pinheiros e as Avenidas 23 de Maio e dos Bandeirantes, também ficaram completamente congestionados, assim como avenidas importantes dos principais bairros.

Brincadeiras. No Twitter, vários usuários reclamaram dos contratempos causados pelo engarrafamento inesperado. "Qual das esperas será a mais apaixonada hoje em São Paulo: trânsito, floricultura, restaurante ou motel?", brincou o usuário @Edualfa. "Esse trânsito de São Paulo está atrapalhando meu namorado de chegar até a minha casa. Estou com fome, Brasil", reclamou @amanda_liraa.

A @oliviatomazela também fez graça com o trânsito ter travado bem no Dia dos Namorados. "Olívia está em um relacionamento sério com o trânsito de São Paulo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.