1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Com Terminal 3, Cumbica ganha ‘novo aeroporto’

Mônica Reolom - O Estado de S. Paulo

11 Maio 2014 | 09h 45

Local, com 192 mil metros quadrados, comportará 12 milhões de passageiros ao ano; processos automatizados ainda não funcionam

Praticamente um novo aeroporto entra em operação hoje em São Paulo. Com 192 mil metros quadrados, o Terminal 3 do Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, é maior do que os três terminais (1,2 e 4) que já existem.

Um ano e sete meses após o início das obras, os primeiros passageiros eram previstos para esta madrugada. A inauguração ficou por conta da companhia aérea Lufthansa, que tinha um voo de Frankfurt previsto para pousar às 4h55 - o primeiro dos 13 voos que o terminal, exclusivamente internacional, deveria operar durante o dia.

O objetivo do novo prédio é desafogar o movimento saturado do aeroporto, que recebeu, em 2013, 36 milhões de passageiros, 50% a mais do que a capacidade. O terminal funcionará parcialmente durante a Copa do Mundo, com a operação de oito empresas. Lufthansa, Swiss e TAP começam hoje, mais cinco chegarão até o Mundial e, até setembro, 25 companhias estarão no local. A transferência gradual visa a evitar "impactos operacionais" durante a Copa, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Inspirado em aeroportos asiáticos, o terminal tem uma fachada envidraçada que ocupa os 18 metros de pé-direito do andar do embarque, além de amplas áreas de circulação e ilhas de check-in em vez de balcões.

Para tornar os trajetos intuitivos, o projeto prevê, nos pisos, granito vermelho para "áreas com serviços" e branco para a circulação. Para quem gosta de compras, lojas de luxo, como Burberry e Victoria’s Secret, atuarão na área restrita.

Atraso. Uma das maiores promessas do novo terminal, os processos automatizados não funcionarão hoje. Segundo a GRU Airport, que administra o aeroporto, "o despacho automático de bagagem (self bag drop), o portão eletrônico de controle de passaporte brasileiro (e-gates) e o sistema automático de distribuição de bagagens serão implementados ao longo do ano". A concessionária diz, porém, que "nenhuma dessas tecnologias afeta a operação" e que o Terminal 3 estará "100% operacional, "com todas as entregas previstas no contrato de concessão".

"O conceito deste terminal é diferente do que prevalece no Brasil. Aqui as áreas são muito amplas, planejadas para o fluxo rápido dos passageiros", afirma Antonio Miguel Marques, presidente da Gru Airport. Oito mil operários se revezaram em três turnos, 24 horas por dia, para concluir as obras. "O tempo de construção para esse terminal foi muito curto (para uma obra desse porte). O processo de licitação demorou, e a concessionária ficou com um prazo limite apertado", diz o engenheiro de infraestrutura aeronáutica Mozart Mascarenhas Alemão. A construção de dois hotéis e dois edifícios-garagem, além da modernização dos Terminais 1 e 2, deve ocorrer até 2016.

Concessão. Hoje é o fim do prazo definido pela Anac para a conclusão do primeiro ciclo de investimentos dos aeroportos concedidos em São Paulo: o de Guarulhos e o de Viracopos, em Campinas. A multa por atraso pode chegar a R$ 170 milhões, mais R$ 1,7 milhão por dia.

A Anac diz que a análise das obras dos dois aeroportos internacionais terá início hoje e, "só após as vistorias é que se poderá estimar penalidades". A agência afirma que o Aeroporto de Cumbica está dentro do prazo. "As inspeções mais recentes da Anac, até o momento, indicam que apenas Viracopos não deverá entregar todos os itens contratuais na data prevista."