Com atraso, sistema Detecta é implantado em 38 municípios

Cidades do litoral e de regiões próximas, como ABC e Vale do Ribeira, terão sistema de videomonitoramento integrado

Fabiana Cambricoli, O Estado de S.Paulo

23 Dezembro 2015 | 15h03

SÃO PAULO - Como parte da Operação Verão, 38 municípios do litoral de São Paulo e de regiões vizinhas passam, a partir desta quarta-feira, 23, a estar integrados ao Detecta, sistema que identifica veículos e atitudes suspeitas por meio de alertas feitos por câmeras de monitoramento. A iniciativa, no entanto, não funciona como o previsto em todos os municípios e sua implantação no Estado está atrasada.

A promessa original, feita pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) na campanha de 2014, era de que todos os 645 municípios paulistas estivessem conectados ao sistema até o final daquele ano. Previa ainda que a tecnologia de alerta das câmeras inteligentes servisse para diversas atitudes suspeitas, como a entrada de uma pessoa de capacete em um estabelecimento comercial. São os chamados vídeos analíticos.

A etapa anunciada nesta quarta pelo secretário da Segurança Pública, Alexandre de Moraes, porém, prevê apenas a comunicação entre cerca de 2.600 câmeras (comuns e OCRs, que lêem placas de veículos) com órgãos de segurança pública, como delegacias e viaturas da Polícia Militar. Somente parte delas, as 480 OCRs, conseguem identificar veículos roubados, furtados ou cujos proprietários são procurados pela polícia. Uma parte ainda menor, presente em apenas quatro municípios do litoral (Santos, Guarujá, Cubatão e Praia Grande) e em duas rodovias(Padre Manoel da Nóbrega e Imigrantes), detectam e emitem alerta para cinco atitudes suspeitas, como uma moto estacionada entre carros num congestionamento.

Questionado sobre o atraso, o secretário defendeu que todas as funcionalidades do Detecta já estão ativas e que necessitam apenas de expansão. "Desde o final de agosto, o Detecta já funciona em todas as suas complexidades. A quarta etapa (atual) seria o aumento quantitativo e qualitativo. Quantitativo para que pudéssemos levar aos 645 municípios e ampliar cada vez mais o número de câmeras e OCRs. E qualitativo porque já estávamos com três vídeos analíticos, agora em janeiro estaremos com cinco vídeos analíticos e, até o meio do ano que vem, nós estaremos com dez hipóteses de vídeos analíticos", disse.

Moraes afirmou ainda que o sistema estará implantado em todo o Estado até o final de 2016.

Mais conteúdo sobre:
detecta alexandre de moraes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.