1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Chuva prevista para o carnaval deve aliviar reservatórios do Cantareira

Ricardo Brandt - O Estado de S. Paulo

24 Fevereiro 2014 | 20h 58

Deve chover intensamente de sexta-feira, 28, até o sábado seguinte, 6, em São Paulo, Minas e Rio

CAMPINAS - Uma frente fria que estaciona na Região Sudeste do País a partir desta sexta-feira - início do fim de semana prolongado de Carnaval - é considerada um alento para a Companhia Estadual de Saneamento Básico (Sabesp), que opera o Sistema Cantareira, maior fonte de abastecimento da Grande São Paulo.

Depois de um fim de ano e começo de 2014 com os menores índices de chuva do período, o nível dos reservatórios do sistema atingiu 19,1% nesta segunda-feira, 24, mais baixo volume desde que começaram a ser construídos, em 1974.

Boletim divulgado nesta segunda-feira pela Somar Meteorologia aponta que deve chover intensamente a partir da sexta-feira, 28, até o sábado, dia 6, nos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, incluindo as áreas de influência do Cantareira.

"A chuva mais intensa está prevista para começar no sábado e deverá durar até o dia 6 de março", explica o meteorologista da Somar, Celso Oliveira. O órgão informou que em Camanducaia (MG), por exemplo, cidade estratégica para recarga dos reservatórios do Cantareira, a chuva da primeira semana deve ficar entre 100 milímetros e 125 mm acumulada. A média esperada no município para todo mês de março é de 160 mm.

A má notícia para os carnavalescos foi recebida com alívio pela Sabesp e governo estadual, que já consideravam que a partir de março o Cantareira chegue a 16% da capacidade, e começaram a fazer simulações e estudos para atuar emergencialmente caso o cenário de seca atípica se agrave.

O Consórcio dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí, entidade que representa usuários de água da bacia hidrográfica de onde é tirada a água do Cantareira, tem alertado que mesmo que volte a chover dentro da média, os reservatórios continuaram com níveis bem abaixo da média e entrarão no período de seca do inverno (a partir de abril) com estoque praticamente zero.

A Sabesp informou que "adotou uma série de medidas diante do quadro inédito de falta de chuvas e calor recorde". Uma delas foi o abastecimento de 1,6 milhão de moradores da zona leste de São Paulo, que eram atendidos pelo Cantareira, com água do Sistema Alto Tietê.

O Cantareira abastece 8,8 milhões de pessoas na Grande São Paulo e ainda 5,5 milhões de pessoas na região de Campinas. A Sabesp informou que, com a previsão de retomada da média de chuva para março, o Sistema Cantareira deve ser normalizado. Os estudos para utilização da água do fundo das represas (chamado volume morto), para um eventual agravamento da seca, seguem.

Folia molhada. Segundo a Somar, na capital deve começar a chover na sexta-feira. As precipitações deve perder força apenas no fim da semana seguinte, após o Carnaval. "O carnaval do Litoral Norte e da capital paulista serão debaixo de chuva", explica Oliveira.

Haverá chuva forte também no Centro e Sul do Rio de Janeiro, incluindo a Costa Verde, Região Serrana e capital; no Centro, Oeste e Sul de Minas, que inclui Belo Horizonte, e no Centro e Leste de São Paulo.

O calor também deve começar a diminuir. A previsão da Somar é que a partir da sexta-feira, 28, a frente fria faça diminuir os termômetros em quase todo Sudeste.